cacwhere

Posts Tagged ‘Bellucci’

Programação ST (2)

In all sports on 21/07/2010 at 23:45

Photo: Google Images

Tênis

Outrora um Masters, Hamburgo hoje se tornou um torneio de nível 500. Mesmo assim, o torneio disputado em terras germânica atrai nomes de peso, e cede aos seus 16 primeiros cabeças de chave uma folga na primeira rodada. Lideram a lista de favoritos Nikolay Davydenko, 6 do mundo, que vem em má fase e defende o título e Jurgen Melzer, 15 do mundo. Thomaz Bellucci, número 1 do Brasil, disputará esse torneio. Cabeça 7, ele estréia na segunda rodada contra Simone Bolelli.

Senhoras e senhores, declaro aberta a temporada preparatória para o US Open! Com essa frase, provavelmente, vai ser iniciado oficialmente o torneio de Atlanta, primeiro da série que culmina com o último slam do ano, em Flushing Meadows. Disputado pela primeira vez desde 2001 na Geórgia, o torneio que substitui o ATP de Indianápolis (substituição que fez Marcos chorar) conta com Andy Roddick (EUA, 9), John Isner (EUA, 18), Lleyton Hewitt (AUS, 31) e Horacio Zeballos (ARG, 43) como principais favoritos, estreando apenas na segunda rodada. Defendendo o título, Robby Ginepri (EUA, 74), estreia contra um qualifier.

No circuito feminino, torneios em Portoroz, Eslovênia e Bad Gastein, Áustria. No primeiro, Jelena Jankovic (SRB, 2) encabeça a lista de favoritas, que contém também Petra Kvitova (CZE, 29), Anastasia Pavlyuchenkova (RUS, 31) e Sara Errani (ITA, 34). Na Áustria, a divertida Andrea Petkovic (ALE, 36) é a primeira cabeça de chave. Timea Baczinsky (SUI, 41), Anabel Medina-Garrigues (ESP, 44) e Klara Zakopalova (CZE, 45) completam as 4 melhores rankeadas do torneio que, assim como Portoroz, distribui 280 pontos para a campeã.

Futebol

Quarta-feira, dia 21, e quinta, dia 22, serão jogadas as partidas da 10ª rodada do Campeonato Brasileiro. Destaque para Grêmio vs. Vasco, no Olímpico, clássico dos desesperados, Palmeiras vs. Botafogo no Pacaembu e os líderes em campo: Atlético-GO vs. Corinthians, Guarani vs. Ceará e Fluminense vs. Cruzeiro.

Ainda na mesma semana, sábado e domingo acontece a 11ª rodada. Dessa vez, destaques para o clássico Santos vs. São Paulo, na Vila, domingo, Cruzeiro vs. Grêmio, no Mineirão, Corinthians vs. Guarani, no Pacaembu e Ceará vs. Palmeiras, no Castelão. No Rio, Botafogo vs. Fluminense. Dependendo da combinação de resultados, o Fluminense pode dormir, domingo que vem, líder do campeonato pela primeira vez desde… 2005, talvez.

Formula 1

Esse final de semana, em Hockenheim, a Fórmula 1 bota os carros na pista para a 11ª etapa do mundial de 2010. Lewis Hamilton, com sua McLaren, lidera o mundial de pilotos, seguido por Jenson Button, seu companheiro de equipe e a dupla da Red Bull, com Mark Webber e Sebastian Vettel. A McLaren lidera também o mundial de construtores.

Ano passado, o GP da Alemanha foi disputado em Nurburgring – as duas pistas fazem um revezamento desde 2007. Lá, Mark Webber, mesmo recebendo um drive through, venceu pela primeira vez na Formula 1. Seu companheiro de equipe, Sebastian Vettel, cruzou a linha de chegada em segundo e Felipe Massa, da Ferrari, ficou em terceiro.

Em 2008, última corrida no novo traçado de Hockenheim, Lewis Hamilton venceu. Em segundo, ajudado pelo acidente de Timo Glock, Nelsinho Piquet conseguiu seu único pódio da Fórmula 1. Felipe Massa terminou em terceiro, e quebrou um jejum de mais de 15 anos sem que dois pilotos brasileiros subissem ao pódio na mesma corrida.

Um atrativo a mais para a corrida deste domingo é a disputa interna que se agrava cada vez mais nos boxes da Red Bull, cheio de acusações mutuas entre Vettel e Webber. Resta saber como será o comportamento dos dois na pista.

GP2

A principal fornecedora de futuros talentos para a Formula 1 corre junto com a “categoria-mãe” na Alemanha. O veterano venezuelano Pastor Maldonado lidera o campeonato, seguido pelo mexicano Sergio Perez. Ambos já foram cotados na F1: Maldonado para a vaga de De La Rosa na Sauber, e Perez, na Virgin.

Indy

A última corrida da fase canadense do mundial da Indy acontece no aeroporto de Edmonton. Líder do campeonato, Will Power tenta aumentar sua supremacia em circuitos mistos, e busca repetir a vitória do ano passado, quando ainda corria com o carro amarelo da Penske Trucks. Em 2009, Power venceu, seguido por Helio Castroneves e Scott Dixon, respectivamente da Penske e Ganassi.

Moto GP

Nesse final de semana, como foi programado pela Dorna, a MotoGP desembarca no tradicional circuito de Laguna Seca, palco do embate épico entre Valentino Rossi e Casey Stoner, pelo mundial de 2008. The Doctor vem para sua segunda corrida após o acidente em Mugello, mas quem quer roubar os holofotes é seu companheiro de equipe, Jorge Lorenzo, atual líder do campeonato.

Ano passado, Dani Pedrosa, com sua Repsol Honda venceu, seguido pela dupla da Yamaha: Lorenzo em segundo e Rossi em terceiro.

A vontade da Ducati de anunciar Valentino Rossi já nessa corrida dá um toque especial para a primeira prova do campeonato mundial disputada em solo americano – a próxima será em Indianapolis, mês que vem.

ST Team! 😉

Advertisements

Wimbledon – Days V & VI

In tennis, Wimbledon on 25/06/2010 at 03:27

Photo: Getty Images

Wimbledon, dias V e VI.

O terceiro Grand Slam do ano chega à terceira rodada, o famoso Round of 32, que distribui, para os derrotados após duas vitórias na grama inglesa, 90 pontos e 31,250 Libras. Não sei quanto dá isso em dinheiros brasileiros, mas sei que é bastante. O suficiente para você repensar sua posição ao chamar aquele cara que cai sempre na terceira rodada, tipo o Kohlschreiber de “babaca”. É um babaca que viaja o mundo e ganha 31,250 Libras Esterlinas trabalhando três dias. Poderia perguntar agora quem é o babaca, mas conheço vocês, queridos admiradores do meu trabalho. E vocês xingariam muito no meu Twitter. Não quero isso para o meu psicológico, então vamos ao que interessa, resumo das dezesseis partidas da terceira rodada. Na verdade, quinze, porque amanhã, dia 25 de junho, Thiemo de Bakker e John Isner fazem uma partida atrasada, por motivos que não precisam ser explicitados, creio eu, mas se você tiver acabado de voltar de, sei lá, Saturno, olha no post ao lado que certamente você vai gostar e entender o motivo.

Ao que interessa. O Patrão já falou sobre vitórias de Roddick e tudo mais. Acho. Enfim, vamos à terceira rodada, já adequadamente palpitados de uma maneira bem confeccionada, nem por isso certeira por Pedro “Insert name here” Liguori e pelo rapaz que assinou os próprios palpites como “Eu” no último post semelhante.

Dia V


Pela parte alta de chave, os seguintes confrontos acontecerão:

Gael Monfils vs. Lleyton Hewitt (H2H: 2-1)

P.L.: Menino Monfils vai perder a vantagem no Head-To-Head. Hewitt vem voando. Ganhou até do Federer, quem diria, em Halle?

Misterious Man: Hewitt em fáceis 3 sets.

Roger Federer vs. Arnaud Clement (H2H: 7-3)

P.L.: Décimo primeiro confronto entre os dois, oitava vitória de Federer. Simples assim.

Misterious Man: Federer em não tão fáceis 3 sets.

Novak Djokovic vs. Albert Montañes (H2H: 3-0)

P.L.: Isso é mesmo necessário? Só pra fazer birra para o dono do blog, meu compatriota sérvio leva.

Misterious Man: O sérvio mais amado do blog vai fazer a alegria de Pedrinho e levar em 3 sets.

Philipp Kohlschreiber vs. Andy Roddick (H2H: 1-2)

P.L.: Compensando a vitória de Djokovic, Roddick passa com tranqüilidade. Mesmo que Kohlschreiber seja respeitado pelo dono de blog (“Não se sabe o que esperar dele”, disse, certa vez, em um de nossos diálogos públicos via Twitter, que provavelmente serão documentados, catalogados e estudados como as cartas de Mário de Andrade para Manuel Bandeira), eu sei o que esperar dele: uma derrota tranqüila para o americano, que marcha para o seu segundo titulo de slam. (E essa análise aqui ficou um pouco grande, e vou ouvir uma certa chiadeira, provavelmente acompanhada de um corte no meu salário. É a vida.)

(N. do A.: Caras, vocês já pararam para perceber que o Kolhi é a cara do alemão da propaganda que tem o Luís Fabiano, que ele fala “Vai, pode encarar?”. IGUALZINHO!)

Misterious Man: Gostaria de acreditar no P.L aqui em cima, mas não acho que vai ser tão tranquilo assim. Roddick em 4 sets.

Feliciano Lopez v. Jurgen Melzer (H2H: 2-3)

P.L.: Feliciano vai ficar mais feliz quando despachar o número 16 do mundo e se classificar para as oitavas. Na grama o jogo do espanhol encaixa mais. É como se o Lopez fosse o Mahut da Espanha.

Misterious Man: Pedrinho manda muito bem. Disse tudo. Só falou faltar em quantos set Lopez avança. 4 sets para o espanhol.

Florian Mayer vs. Yen-Hsun Lu (H2H: 1-0*)

P.L.: O dono do blog há de me perdoar, mas preciso comentar que é difícil acreditar que teremos um destes dois nas oitavas de um Grand Slam. Mas há de concordar também que Andy Roddick ri de tal situação.

Misterious Man: Mayer em 5 sets. Vai ser o jogo mais disputado da rodada.

Outros jogos do dia que não merecem assim tanta atenção:

Tomas Berdych vs. Denis Istomin (H2H: 0-0)

Mikhail Youznhy vs. Paul-Henri Mathieu (H2H: 5-1)

Victor Hanescu vs. Daniel Brands (H2H: 0-0)

Jogo de segunda rodada:

Thiemo de Bakker vs. John Isner (H2H: 0-0)

P.L.: Queria ter um centavo para oferecer por informações detalhadas sobre os pensamentos de John Isner e Thiemo de Bakker. Acho que Isner leva. Ele deve estar motivado como nunca na vida. Resta saber até que ponto essa motivação vence o físico.

Misterious Man: Bakker leva em 5 sets. Embora ambos não aguentem jogar nem mais 1.

Dia VI

No sexto dia de Wimbledon, sábado, dia 26, teremos o complemento da terceira rodada. Ainda não há “Schedule of Play”, mas para pouparmos tempo e espaço, vamos direto aos confrontos do dia, todos válidos pela terceira rodada do torneio.

Andy Murray vs. Gilles Simon (H2H: 3-1)

P.L.: Simon vem gradualmente voltando às quadras após uma dura lesão. Venceu dois jogos e está de bom tamanho. Murray segue firme para defender e quiçá somar mais pontos ao final de Wimbledon.

Misterious Man: Môri jogou bem demais perto da rainha. Longe dela não jogará tão bem. Mas passará em 4 sets.

Robin Soderling vs. Thomaz Bellucci (H2H: 0-0)

P.L.: Bellucci nunca venceu um Top 10 em sua carreira. Não será desta vez. Soderling vence, sem perder um set.

Misterious Man: Hahahahahahahahahahahaha. Não contive o riso. Perdão. Soderling em 3. Mas Belucci arranca um tie-break.

Rafael Nadal vs. Philipp Petzschner (H2H: 2-0)

P.L.: Nadal venceu, mas não convenceu. O que não é tão importante assim. Vence, e Petzschner não vai mais precisar ficar preocupado em torcer para a Alemanha contra a Inglaterra em solo da Rainha.

Misterious Man: Nadal em 3 sets. 2 deles vencidos no tie-break.

Outros jogos do dia VI:

Jeremy Chardy vs. David Ferrer (H2H: 1-3)

P.L.: Ferrer joga a segunda rodada do campeonato francês de Wimbledon. Pois bem, o espanhol tem, também, 199 derrotas na carreira. Ele não vai perder a chance de entregar a 200ª pro Nadal. Só precisa combinar com o Soderling, na próxima rodada.

Misterious Man: Hora de arriscar! Chardy em 5 sets.

Sam Querrey vs. Xavier Malisse (H2H: 1-0)

P.L.: Malisse vinha de boa campanha em Queen’s até encontrar Querrey. Pois o americano mais uma vez vai destruir os sonhos do melhor belga do ranking masculino e segue em rota para um dos duelos que eu mais espero nesse torneio, contra Andy Murray.

Misterious Man: Querrey, espero eu, em 5 sets.

Julien Benneteau vs. Fabio Fognini (H2H: 0-0) e Jo-Wilfried Tsonga vs. Tobias Kamke (H2H: 0-0) completam a rodada. E, ao contrário do que aconteceu na Copa do Mundo, prevejo um dia alegre para os dois franceses. E, se isso acontecer, a França terá, automaticamente um representante nas quartas-de-final de simples de Wimbledon. Interessante.

ST Team! 😉

Fator Bellucci

In tennis on 12/02/2010 at 11:18

Photo: Google Images

O Brasil nunca foi uma potência no tênis.

Sim, tivemos Maria Esther Bueno e Guga.

Mas não foram apenas 2 grandes atletas os responsáveis por fazer dos Estados Unidos uma potência na natação, do Canadá uma potência no hockey, da Romênia uma potência na ginástica, e nem do Brasil uma potência no futebol.

Levando em conta que o tênis feminino não nos traz uma grande jogadora desde, bem, desde a própria Maria Esther Bueno, nossas esperanças de ver alguém deslanchar no esporte resumem-se basicamente ao circuito masculino.

Guga foi um grande tenista. Facilmente você pode vê-lo em listas dos 15, 20 melhores tenistas de todos os tempos, atrás das escolhas óbvias de Nastase, Agassi, Sampras, Lendl, McEnroe, Edberg, Connors, Federer, Laver…nas mais diferentes ordens possíveis.

Um currículo admirável: 3 Grand Slams, todos conquistados no saibro de Roland Garros, 43 semanas como número 1 do mundo e o respeito e admiração de grandes tenistas e analistas do circuito.

As dores no joelho, seguidas de inúmeras contusões, acabaram por antecipar a aposentadoria do melhor tenista brasileiro de todos os tempos.

Desde então, nem um tenista foi capaz de recuperar a atenção que Guga despertava para o tênis.

Fernando Meligeni foi um bom tenista. Chegou a ser número 25 do mundo, e teve como maior vitória na carreira o ouro panamericano nos Jogos de 2003. Ainda assim, passou longe de ser considerado um grande campeão.

A bola da vez é Thomaz Bellucci. 2 títulos de ATP. O último deles conquistado a poucos dias, em Santiago, Chile. Com o título, Bellucci é agora o número 28 do mundo, melhor posição de sua carreira. 420 pontos o separam de entrar no Top 20 e ser o segundo brasileiro a alcançar este feito.

Não será fácil.

Bellucci hoje possui 1.351 pontos, e defende esta semana na Costa do Sauípe, 150 pontos.

Supondo que Bellucci defenda os pontos do vice-campeonato e ainda conquiste o torneio, e fique claro que tênis pra isso ele tem, Bellucci acrescentaria 100 pontos, e ficaria com 1.451.

Ainda distante dos 1.770 do atual número 20 do mundo, o russo Mikhail Youzhny.

Entretanto, há tempos não tínhamos tanto o que comemorar.

Bellucci é jovem, talentoso, e começa a mostrar uma maturidade não vista na maioria de seus jogos até ano passado. E o que pode ser um diferencial para um jovem que ainda aprende a lidar com a pressão de resultados: Bellucci não tem (pelo menos não ainda) a visibilidade de jovens como Marin Cilic e Gael Monfils, outros emergentes tenistas que se aproximam dos melhores do mundo.

Cilic vêm de uma belíssima campanha em Melbourne, onde esbarrou no britânico Andy Murray nas semifinais do torneio. Gael Monfils também já foi semifinalista de um Grand Slam, Roland Garros.

Não vejo Bellucci chegando em uma semifinal de um torneio deste nível tão cedo.

Mas isso pode ser bom.

Quem sabe comendo pelas beiradas o jovem tenista não ganha a confiança e a maturidade necessárias para se tornar um tenista competitivo também em eventos de primeiro nível.

O povo brasileiro já começa a se animar. E com toda razão.

O Brasil pode novamente ter um grande tenista da casa.

Tudo vai depender do “Fator Bellucci”.