cacwhere

Posts Tagged ‘Djokovic’

Dois Palhaços

In tennis on 02/10/2010 at 13:50

Andy Roddick e Novak Djokovic, dois dos jogadores mais engraçados do circuito, fizeram nesta madrugada (horário de Brasília) um jogo exibição na Coréia do Sul, vencido pelo sérvio por 6-2, 6-4 (a vitória não conta para as estatísticas oficiais, tá? Continua 5-2 Roddick no H2H…rs).

Resultado à parte, de uma partida exibição entre Roddick e Djokovic espera-se, claro, muitas palhaçadas. Por isso, posto aqui 3 vídeos da exibição entre os dois grandes jogadores.

Nos dois primeiros, você acompanha as famosas imitações de Novak Djokovic (Roddick e Sharapova são os alvos da vez), e depois Roddick devolve na mesma moeda, imitando o tradicional processo de preparação de saque do sérvio.

No terceiro, você vê os jogadores jogando uma partida exibição na frente do Hyunday Capital Card, no distrito de Youido, em Seul. A qualidade não é das melhores, nem mesmo a edição do simpático coreano que filmou, mas você consegue claramente ver Roddick andando de bicicleta (?) e Djokovic falando ao celular (?) durante a partida.

Pra quem não lembra, Roddick e Djokovic já fizeram uma partida exibição cheia de gracinhas, como essa, no Arthur Ashe Kids Day 2008, evento que acontece no sábado que antecede o US Open.

Caso alguém queira lembrar os melhores momentos do jogo, é só clicar aqui.

Máquina do Tempo…

Em 2008, neste mesmo US Open, Roddick e Djokovic se estranharam, após declarações de Roddick numa entrevista coletiva, que você relembra aqui.

Após ser questionado por um jornalista o que ele achava das constantes paradas médicas que Djokovic pedia durante suas partidas, o americano foi irônico e respondeu: “Novak Djokovic tem gripe-aviária… antrax… SARS…”.

Novak Djokovic levou a sério a entrevista, derrotou Roddick no torneio, e após as comemorações foi vaiado pela torcida presente.

Após o jogo, Novak concedeu esta entrevista aqui. Ele explica as paradas médicas que pede durante as partidas, pede desculpas por ter reagido mal após a vitória sobre Roddick e diz que tudo foi um mal-entendido.

Os dois palhaços, aparentemente, agora estão bem.

Abaixo, você encontra algumas fotos do evento de hoje:

ST Team! 😉

Wimbledon – Day XI

In tennis, Wimbledon on 02/07/2010 at 11:20

O torneio mais charmoso do circuito da ATP chega à sua fase final. Faltam agora três jogos para que Wimbledon coroe mais um campeão. E, teoricamente, temos 75% de chances de termos um campeão inédito no All England Club. Rafael Nadal, Tomas Berdych, Andy Murray e Novak Djokovic se enfrentam nas semi-finais, amanhã, por um prêmio que deixa no chinelo os 720 pontos e as 250,000 libras de recompensa para os que perdem nas meias-finais. Mas falemos sobre isso no próximo post, o que abordará as finais, tanto do masculino quanto do feminino.

Às semis, portanto, que o tempo urge e eu tenho ainda de preparar um post sobre as quartas-de-final da Copa do Mundo.

Nadal vs. Murray (H2H: 7-3)

Um clássico do tênis moderno, me atrevo a dizer. O líder do ranking mundial enfrenta o quarto colocado, que parece ter achado seu melhor tênis justamente quando mais se esperava: em Wimbledon. Murray vem jogando fácil, passando por seus adversários sem quaisquer dificuldades. Deixou, pelo caminho, nas duas ultimas fases, Sam Querrey, bom tenista americano e exímio sacador, e Jo-Wilfried Tsonga, perigoso tenista francês que desde que despontou, no Australian Open de dois anos atrás, ronda o top-10 e até já ganhou um Masters. Já Nadal é o famoso Touro Miúra. Não sou autoridade para comentar tênis tecnicamente, admito. Mas tento ser imparcial e mesmo não gostando do espanhol nutro grande admiração por Rafa. Nadal tem um grande físico – que às vezes é posto em dúvida – uma determinação maior ainda e uma raça típica dos espanhóis. O sucessor natural de Roger Federer passou sufoco pelo menos duas vezes nesse torneio: contra o jovem holandês Robin Haase, que chegou a ter a vantagem em sets, mas com uma leve contusão no pé – e não sei se ele culpou o problema físico pela derrota – acabou sofrendo a virada. Depois, mais cinco sets contra Petzscher, mas Nadal triunfou. Então veio o velho freguês, Mathieu, e uma vitória tranqüila. Nas quartas, Robin Soderling, único algoz de Nadal em Roland Garros, sueco em quem ninguém apostaria meia pataca furada um ano e meio atrás, chegou a vencer o primeiro set, mas perdeu os outros três e ficou pelo caminho, provando que um raio cai sim duas vezes no mesmo lugar. Mas não três ou quatro – como ficou provado na França e agora em Wimbledon. Nadal evoluiu muito ao longo do torneio, e agora parece seguro o suficiente para desbancar Murray diante de sua própria torcida. Dependendo do sobrinho de Miguel Ángel Nadal, os ingleses ficam mais um ano sem ver um tenista local vencendo Wimbledon.

Minha aposta: É mais torcida que uma aposta. Murray, em 4. Nadal não esconde que tem problemas no joelho – mas lida muito bem com eles, diga-se. Em 2010 não veremos o bi de Rafa nas quadras de grama.

‘Why so serious?’ Guy: Well, na verdade não estou com a menor vontade de palpitar nesse torneio que deveria ser de Andy Roddick. Quem vencer aqui leva a minha torcida para a final contra Djokovic. Que vai ser a minha aposta ali embaixo. Se BerdyBoy passar, tem a minha torcida, mas aí o favoritismo ficará para quem vencer esse confronto. Sem favoritos. Pra não ficar em cima do muro: Nadal em 5.

Djokovic vs. Berdych (H2H: 2-0)

Roddick perdeu para Lu que perdeu para Djokovic, que fez com que o dono do blog perdesse a cabeça e a vontade de assistir tênis. Ok, é entendível. Mas eu, pelo menos, tento ser um pouco mais imparcial, e não acho que minha análise será prejudicada por isso. Pois bem, vamos ao que interessa. Djokovic é outro que cresceu muito no torneio, conforme ia avançando para as próximas fases. Assim como em 2009, Nole não se acertou muito no começo da temporada, e piorou seus resultados o suficiente para que fosse contado como fora da disputa pelo troféu na Inglaterra. Ledo engano. Pois saindo da temporada do saibro, não mais escorre o pobre nariz balcânico do jogador mais bem humorado do circuito (e fico pensando se essa minha frase sofrerá censura). E as águas do final de junho, começo de julho, fazem bem ao sérvio, que reencontrou tênis para mantê-lo como segundo melhor tenista nas cinqüenta e duas semanas que separam a final de Wimbledon do ano passado para a deste ano. Sim, meus amigos, Federer perderá o segundo posto no ranking de entradas, atingindo sua pior posição desde 2003, quando eu tinha apenas onze aninhos e ainda assistia Digimon. Tudo isso porque Tomas Berdych voltou a derrotar o suíço, garantindo assim o direito de disputar com Djoker uma vaga na final do dia 4, dia da Independência. Berdych vem fazendo uma temporada louvável, obtendo grandes resultados nos três pisos: vice-campeão em Miami, semi-finalista em Roland Garros e novamente semi-finalista em Wimbledon. Parece que o eterno namorado de Lucie Safarova curtiu a sensação de estar entre os quatro melhores de um Slam. Que bom. Contra Djokovic, no entanto, o favoritismo fica do lado do number-two-to-be. Pena. Adoraria ver Berdych na final de um Slam. Só que também não sou bobo a ponto de achar que ele tem alguma chance contra Nadal ou Murray – porque não tem. Cravo que o campeão sai daquele lado da chave. Apenas um breve comentário que não posso deixar de fazer: Roddick tem motivos para se lamentar eternamente. Outra chance igual essa só em 2022. Pena. Mas a hora do americano ainda vai chegar.

Minha aposta: Hei de ser perdoado, mas aposto em Djokovic. Espero que ninguém fique nervoso comigo, nem estressado, nem me demite ou me bloqueie no Twitter. Mas não vejo como Berdych pode vencer. Aliás, até penso em um jeito, sim. Um alinhamento nos planetas faz com que o checo sonhe com antigos campeões da grama sagrada. O grandalhão desperta inspirado pelos saques de Krajicek e Ivanisevic, e repete as atuações do holandês e do croata, sem dar chances ao iugoslavo quando estiver sacando. Ainda, Berdych não pode ter medo de errar, ou segurar o braço, em momento algum durante a partida. Que desfira pancadas do primeiro ao último game, colocando Djoko sempre na defensiva. Ou arrisca precisas subidas à rede para executar voleios que dariam inveja a Sampras e Rafter. Por fim, não seria de todo mal se a grama de oito milímetros da Quadra Central guardasse um inseto britânico raro ao qual Djokovic é alérgico. O famoso quique irregular das quadras de grama também poderiam fazer com que Nole torcesse o pé e fosse forçado a abandonar a partida. Em cima de uma maca. Para o delírio do dono do blog. Focando mais na realidade, Djokovic entrando em quadra da mesma maneira que entrou em sua estréia, contra Olivier Rochus, igualaria as forças. Em condições normais, no entanto, não vejo o sérvio fora da decisão. E que Berdych se dê por satisfeito se conseguir arrancar um set, num hipotético tie-break.

‘Why so serious?’ Guy: Torço para BerdyBoy levar, mas acho que Djokovic leva em 4 difíceis sets. Espero errar. Mesmo.

Teremos amanhã, sexta-feira, além das semi-finais de Wimbledon, Brasil vs. Holanda pelas Quartas da Copa do Mundo. O que vocês, leitores fanáticos pelo estilo despojado do SportsTour vão preferir? Minha resposta, evidentemente, é a cama. (Nota do Editor: Demitido!)

E vai Holanda.

Nascido na Sérvia, Pedro Liguori é colaborador do SportsTour desde a época em que Federer era dois do mundo. Admirador de Wimbledon e de vacas leiteiras, torcerá por uma final entre Murray e Berdych.

ST Team! 😉

Wimbledon – Day VII

In tennis, Wimbledon on 28/06/2010 at 02:03

Photo: Google Images

Grande dia para o amante do tênis. Dia de grandes partidas, tanto na chave masculina, quanto – acreditem! – na feminina.

Os seis cabeças de chave principais continuam no Round 4 – popularmente conhecido como oitavas de final – e, tirando um, são todos favoritos para avançar para as quartas.

Vamos aos sensacionais e imperdíveis palpites que você não consegue esperar sem se mutilar (?):

Federer x Melzer (H2H: 0x0)

Pedro ‘Ferrolho Suíço’ Liguori: Federer em 3. Não tem muito o que falar…

Eu: Depois de 35 anos de carreira perdendo no terceiro round, Melzer chega a mais um R4 e deve tirar um set do atual número 2 do mundo. Federer em 4.

Mathieu x Nadal (H2H: 0x9)

Pedro ‘Saibro é para porcos’ Liguori: Nadal tá voltando a aparecer. Meu joelho dói, meu cotovelo dói, mas eu ganho sempre em 5 sets, jogos de quatro horas. E sempre pronto pra próxima. E o Mathieu… bom, quem perdeu 9 perde 10.

Nadal em 4 sets. Com atendimento médico e tudo.

Eu: Mesmo com uma campanha preocupante no All England Club, caberá a Soderling ou Murray o papel de eliminar o número 1 do mundo. Nadal em difíceis 3 sets.

Djokovic x Hewitt (H2H: 3×1)

Pedro ‘Aussie’ Liguori: Para delírio do acionista majoritário da Sports Tour Entertainment Inc., Hewitt repete os Socceroos e manda de volta para casa o Sérvio. 3-1 para o velho Hewitt, já em seu “canto do cisne”.

Eu: O jogo terá 5 sets. Muito bem disputados. E Hewitt vencerá no último porque o físico de Djokovic estará pra lá de Belgrado. Fim.

Roddick x Lu (H2H: 3×0)

Pedro ‘mimimi’ Liguori: Roddick vs. Lu para mim é quase como aquelas séries de três jogos da MLB. Salvo engano, Roddick venceu Lu duas vezes esse ano. Pois bem, vence a terceira e completa a varrida.

Eu: Roddick, espero eu, não perde 2 sets neste jogo em condições normais. Jogando bem, não perde nem sequer 1. Mas como a grama adora um tie-break, o americano leva em 4 sets.

Tsonga x Benneteau (H2H: 3×3)

Pedro ‘I believe in Benneteau’ Liguori: Hmm… Tsonga é um grande tenista, mas costuma perder para seus compatriotas. Em Marseille foi assim, perdeu para Benneteau na semi. Em um Grand Slam – ainda mais Wimbledon – sou obrigado a ir com Jo-Wilfried. Ele saca melhor e tem bom condicionamento físico. Sinto muito, Benneteau. Seu primeiro slam fica pra próxima.

Eu: O confronto mais horroroso das oitavas. Ambos os tenistas não estariam aqui caso tivessem uma chave pouca coisa mais complicado. Kamke, Fognini…. não é um cartel de respeito. E eu vou com a ‘zebra’ aqui: Benneteau em 5.

Murray x Querrey (H2H: 3×0)

Pedro ‘USA lover’ Liguori: Primeiro da série de jogos que eu esperei desde o começo do torneio. Querrey complica e embaça. Mas, se já quase amarelou contra o Malisse, contra o Murray vai. Dá Murray, em 5, em uma bela duma partida.

Eu: Ah, como eu queria ver uma vitória de Querrey aqui. Mas ela não vai acontecer. O pupilo escocês em 4.

Soderling x Ferrer (H2H: 5×2)

Pedro ‘Ferrer Rocher’ Liguori: Eu sei que o Ferrer tá doidinho pra perder pela 200ª vez na carreira para o Nadal (embora eu ache que ele tenha perdido pelo menos metade dessas 199 vezes pro compatriota). Mas o lance é que o Soderling tá jogando demais. Sinto muito, Ferrer. Mas reserva desde já a 300ª pro Rafa.

Eu: Soderling ainda não perdeu sets no torneio. E não vai ser nesta partida que ele vai perder. Soderling em 3.

Berdych x Brands (H2H: 0x0)

Pedro ‘Não gosto de tchecos’ Liguori: Berych bate Brands em boa batalha. 3 a…. 0 ou a 1.

Eu: Vou com Pedrinho. Berdych em 3. Ou 4.

Na chave das ‘ladies‘, dois confrontos se destacam:

Duelo belga entre Clijsters e Henin (12 x 12 no H2H), com palpites abaixo:

Pedro ‘Mattek Sands’ Liguori: Henin voltou ao circuito só pra ganhar Wimbledon. Mas Clijsters é a minha favorita. Só não digo que ela é linda e fofíssima porque iriam me estranhar. Então digo que ela é firmeza. E aposto nela, porque nas duas vezes que se encontraram depois da volta de Justine ao circuito, deu Clijsters.

Eu: O melhor jogo feminino do torneio até aqui. E poderia muito bem ser uma final. Henin lidera o H2H na grama (3-1), mas vou com Clijsters, em 3 apertados sets.

E o duelo da atual número 1 do mundo, Serena Williams com a russa Maria Sharapova (H2H:5×2):

Pedro ‘Russia Sucks’ Liguori: Serena ganha, a musa, inatingível, deliciosa. Além de me dar a oportunidade de pelo menos ver ela mais um jogo em ação, Wimbledon rima com “Irmãs Williams”, na linguagem poética do tênis que nem todos podem compreender. Portanto, qualquer final que não seja entre as irmãs, pra mim, é uma bela duma zebra.

Eu: Williams em duplo 6×4. Uma pena. Sharapova tem tênis pra ir mais longe.

That’s it, guys. Ou como diria o grande MJ, falecido no dia 25 de junho do ano passado, This is it.

Para elogios, entrem em contato comigo. Para reclamações, Pedrinho está sempre à disposição de vocês.

Um abraço a todos!

ST Team! 😉

Wimbledon – Days V & VI

In tennis, Wimbledon on 25/06/2010 at 03:27

Photo: Getty Images

Wimbledon, dias V e VI.

O terceiro Grand Slam do ano chega à terceira rodada, o famoso Round of 32, que distribui, para os derrotados após duas vitórias na grama inglesa, 90 pontos e 31,250 Libras. Não sei quanto dá isso em dinheiros brasileiros, mas sei que é bastante. O suficiente para você repensar sua posição ao chamar aquele cara que cai sempre na terceira rodada, tipo o Kohlschreiber de “babaca”. É um babaca que viaja o mundo e ganha 31,250 Libras Esterlinas trabalhando três dias. Poderia perguntar agora quem é o babaca, mas conheço vocês, queridos admiradores do meu trabalho. E vocês xingariam muito no meu Twitter. Não quero isso para o meu psicológico, então vamos ao que interessa, resumo das dezesseis partidas da terceira rodada. Na verdade, quinze, porque amanhã, dia 25 de junho, Thiemo de Bakker e John Isner fazem uma partida atrasada, por motivos que não precisam ser explicitados, creio eu, mas se você tiver acabado de voltar de, sei lá, Saturno, olha no post ao lado que certamente você vai gostar e entender o motivo.

Ao que interessa. O Patrão já falou sobre vitórias de Roddick e tudo mais. Acho. Enfim, vamos à terceira rodada, já adequadamente palpitados de uma maneira bem confeccionada, nem por isso certeira por Pedro “Insert name here” Liguori e pelo rapaz que assinou os próprios palpites como “Eu” no último post semelhante.

Dia V


Pela parte alta de chave, os seguintes confrontos acontecerão:

Gael Monfils vs. Lleyton Hewitt (H2H: 2-1)

P.L.: Menino Monfils vai perder a vantagem no Head-To-Head. Hewitt vem voando. Ganhou até do Federer, quem diria, em Halle?

Misterious Man: Hewitt em fáceis 3 sets.

Roger Federer vs. Arnaud Clement (H2H: 7-3)

P.L.: Décimo primeiro confronto entre os dois, oitava vitória de Federer. Simples assim.

Misterious Man: Federer em não tão fáceis 3 sets.

Novak Djokovic vs. Albert Montañes (H2H: 3-0)

P.L.: Isso é mesmo necessário? Só pra fazer birra para o dono do blog, meu compatriota sérvio leva.

Misterious Man: O sérvio mais amado do blog vai fazer a alegria de Pedrinho e levar em 3 sets.

Philipp Kohlschreiber vs. Andy Roddick (H2H: 1-2)

P.L.: Compensando a vitória de Djokovic, Roddick passa com tranqüilidade. Mesmo que Kohlschreiber seja respeitado pelo dono de blog (“Não se sabe o que esperar dele”, disse, certa vez, em um de nossos diálogos públicos via Twitter, que provavelmente serão documentados, catalogados e estudados como as cartas de Mário de Andrade para Manuel Bandeira), eu sei o que esperar dele: uma derrota tranqüila para o americano, que marcha para o seu segundo titulo de slam. (E essa análise aqui ficou um pouco grande, e vou ouvir uma certa chiadeira, provavelmente acompanhada de um corte no meu salário. É a vida.)

(N. do A.: Caras, vocês já pararam para perceber que o Kolhi é a cara do alemão da propaganda que tem o Luís Fabiano, que ele fala “Vai, pode encarar?”. IGUALZINHO!)

Misterious Man: Gostaria de acreditar no P.L aqui em cima, mas não acho que vai ser tão tranquilo assim. Roddick em 4 sets.

Feliciano Lopez v. Jurgen Melzer (H2H: 2-3)

P.L.: Feliciano vai ficar mais feliz quando despachar o número 16 do mundo e se classificar para as oitavas. Na grama o jogo do espanhol encaixa mais. É como se o Lopez fosse o Mahut da Espanha.

Misterious Man: Pedrinho manda muito bem. Disse tudo. Só falou faltar em quantos set Lopez avança. 4 sets para o espanhol.

Florian Mayer vs. Yen-Hsun Lu (H2H: 1-0*)

P.L.: O dono do blog há de me perdoar, mas preciso comentar que é difícil acreditar que teremos um destes dois nas oitavas de um Grand Slam. Mas há de concordar também que Andy Roddick ri de tal situação.

Misterious Man: Mayer em 5 sets. Vai ser o jogo mais disputado da rodada.

Outros jogos do dia que não merecem assim tanta atenção:

Tomas Berdych vs. Denis Istomin (H2H: 0-0)

Mikhail Youznhy vs. Paul-Henri Mathieu (H2H: 5-1)

Victor Hanescu vs. Daniel Brands (H2H: 0-0)

Jogo de segunda rodada:

Thiemo de Bakker vs. John Isner (H2H: 0-0)

P.L.: Queria ter um centavo para oferecer por informações detalhadas sobre os pensamentos de John Isner e Thiemo de Bakker. Acho que Isner leva. Ele deve estar motivado como nunca na vida. Resta saber até que ponto essa motivação vence o físico.

Misterious Man: Bakker leva em 5 sets. Embora ambos não aguentem jogar nem mais 1.

Dia VI

No sexto dia de Wimbledon, sábado, dia 26, teremos o complemento da terceira rodada. Ainda não há “Schedule of Play”, mas para pouparmos tempo e espaço, vamos direto aos confrontos do dia, todos válidos pela terceira rodada do torneio.

Andy Murray vs. Gilles Simon (H2H: 3-1)

P.L.: Simon vem gradualmente voltando às quadras após uma dura lesão. Venceu dois jogos e está de bom tamanho. Murray segue firme para defender e quiçá somar mais pontos ao final de Wimbledon.

Misterious Man: Môri jogou bem demais perto da rainha. Longe dela não jogará tão bem. Mas passará em 4 sets.

Robin Soderling vs. Thomaz Bellucci (H2H: 0-0)

P.L.: Bellucci nunca venceu um Top 10 em sua carreira. Não será desta vez. Soderling vence, sem perder um set.

Misterious Man: Hahahahahahahahahahahaha. Não contive o riso. Perdão. Soderling em 3. Mas Belucci arranca um tie-break.

Rafael Nadal vs. Philipp Petzschner (H2H: 2-0)

P.L.: Nadal venceu, mas não convenceu. O que não é tão importante assim. Vence, e Petzschner não vai mais precisar ficar preocupado em torcer para a Alemanha contra a Inglaterra em solo da Rainha.

Misterious Man: Nadal em 3 sets. 2 deles vencidos no tie-break.

Outros jogos do dia VI:

Jeremy Chardy vs. David Ferrer (H2H: 1-3)

P.L.: Ferrer joga a segunda rodada do campeonato francês de Wimbledon. Pois bem, o espanhol tem, também, 199 derrotas na carreira. Ele não vai perder a chance de entregar a 200ª pro Nadal. Só precisa combinar com o Soderling, na próxima rodada.

Misterious Man: Hora de arriscar! Chardy em 5 sets.

Sam Querrey vs. Xavier Malisse (H2H: 1-0)

P.L.: Malisse vinha de boa campanha em Queen’s até encontrar Querrey. Pois o americano mais uma vez vai destruir os sonhos do melhor belga do ranking masculino e segue em rota para um dos duelos que eu mais espero nesse torneio, contra Andy Murray.

Misterious Man: Querrey, espero eu, em 5 sets.

Julien Benneteau vs. Fabio Fognini (H2H: 0-0) e Jo-Wilfried Tsonga vs. Tobias Kamke (H2H: 0-0) completam a rodada. E, ao contrário do que aconteceu na Copa do Mundo, prevejo um dia alegre para os dois franceses. E, se isso acontecer, a França terá, automaticamente um representante nas quartas-de-final de simples de Wimbledon. Interessante.

ST Team! 😉

Wimbledon – Days I, II, III & IV

In tennis, Wimbledon on 24/06/2010 at 01:13

Photo: Google Images

O Grand Slam mais tradicional do ano começou nesta última segunda-feira, tenho a impressão, apenas para calar a digníssima boca de Fernando Meligeni, que disse que a grama era para as vacas.

Tenho certeza que ele gostaria de ser uma destas vacas.

Como fiquei devendo um preview daqueles que vocês jamais esqueceriam, vou fazer um resumo dos 3 primeiros dias de jogos no All England Club. Já tivemos inúmeras ‘quase-zebras’, 2 Top 10 caindo e um jogo com placar, digamos… peculiar.

Além disso, temos palpites para os jogos do dia 4 do torneio.

Análises passionais oriundas da minha pessoa e a análise mais sagaz do mundo esportivo vinda diretamente da Sérvia texana, ou do Texas sérvio, como preferirem, para que ninguém diga que não avisamos. Resumo: somos fodas mesmo!

A verdade é a seguinte: este post é apenas um aperitivo para o que virá a seguir. Let’s play!

Day I

Falla falhou e Federer ficou com a vitória em 5 sets.

Ok, eu não traduzi a essência do jogo e priorizei as palavras que começam com F por puro prazer.

Enfim, o colombiano sacou para FECHAR o jogo. Sim, Falla sacou para F-E-C-H-A-R o jogo contra Federer em Wimbledon. Não conseguiu e tomou um pneu.

Djokovic sofreu, sofreu, sofreu, sofreu, sofreu (riscou, sorry!) mas venceu Rochus no quinto set com uma ajudazinha da organização que paralisou o jogo por 20 minutos para fechar o teto, o que ajudou o sérvio, jogador com um dos piores físicos do circuito.

Davydenko passou também em 5. Também de virada.

Roddick passeou e perdeu apenas 7 games para Rajeev Ram.

Cilic perdeu, Ljubicic se foi, Hewitt venceu em 4.

No feminino: Venus venceu, Clijsters e Henin também.

E assim acabou o primeiro dia em Wimbledon.

Day II

Dia chatíssimo.

Murray venceu em 3.

Nadal venceu em 3. Nishikori decepcionou Pedro Liguori ao extremo.

Blake perdeu em 3 rápidos sets.

E ainda tentaram me convencer que a chave do espanhol era a mais difícil do torneio. Mas não é mesmo.

Soderling passeou. Também perdeu apenas 7 games. E teve gente apostando que o Ginepri levava em 4 sets (tsc).

Youzhny, o melhor russo de todos os tempos depois de Marat Safin, venceu Sela, o carrasco de Andy Roddick em Queens, em 4 disputados sets.

Verdasco foi o primeiro Top 10 a deixar o torneio. O espanhol foi vencido pelo italiano Fabio Fognini, também conhecido como Andreas Seppi ou Filipo Volandri.

Tsonga venceu em 4, mas seu tênis não convenceu.

No feminino, a se destacar a vitória fácil de Serena Williams, num torneio que deve ficar com uma das irmãs ou com uma belga.

E assim acabou o morno dia 2 de Wimbledon.

Day III

O dia 3 de Wimbledon. Dia que não será marcado pela ótima vitória de Roddick sobre Llodra em 4 sets, nem pelas vitórias de Djokovic (em 3), Federer (difíceis 4 sets contra o número 152 do mundo) ou Berdych (tranquilos 3 sets). Nem pela despedida de Davydenko (4 sets).

Clijsters, Venus e Henin também venceram, mas o jogo do dia, do ano, da década, do século e possivelmente de toda a história do tênis aconteceu na quadra 18, entre John Isner e Nicolas Mahut.

O placar parcial da partida que começou dia 22 e só terminará – assim eu creio – no dia 24 de junho de 2010, aponta 6-4, 3-6, 6-7, 7-6, 59-59. Você leu direitinho… CINQUENTA E NOVE a CINQUENTA E NOVE!

Mais sobre a partida num post daqui a pouquinho.

Pedrinho se superou e fez o possível melhor texto de todos os tempos. Acho até que ele merece um aumento. Ou um elogio. O que eu achar melhor (rs).

E assim o dia 3 de Wimbledon ‘acaba’, sem que o que de melhor houve acabasse.

Day IV – Palpites do Sports Tour

Murray x Nieminem (H2H: 2-0):

Eu: Nieminem é o mesmo que levou Andy Roddick aos 5 sets em Roland Garros? Grande coisa. Murray em 3 sets.

Pedro ‘Morra Mahut’ Liguori: Coitado do Nieminem. Vai levar um coro diante da Rainha. Murray, com facilidade, em 3.

Nadal x Haase (H2H: 0-0):

Eu: Haase passeou em quadra na primeira rodada contra Blake. Acredito que o jogo não será fácil, mas Nadal passará em complicados 3 sets.

Pedro ‘Benneteau I Love You’ Liguori: Nadal é um sujeito amigo. Justamente por isso, o Haase vai estar em casa pra assistir o jogo da Holanda contra Camarões. 6/2, 6/3, 6/1.

Soderling x Granollers (H2H: 3-1):

Eu: Que sono. Não consegui dormir bem esta noite. E essa vai ser daquelas partidas chatinhas que me ajudariam a dormir melhor. Não pelo sueco, é claro. Ele é amplo favorito e deve ganhar em 1 hora e meia. Rápido e indolor, como um Dramin.

Pedro ‘Ivanisevic Rules’ Liguori: Se nem no saibro deu pro espanhol… o Australian Open foi um caso à parte. Dá Soderling, fácil.

Dolgopolov x Tsonga (H2H: 0-0):

Eu: Hum. Pode ser interessante. Vou arriscar e apostar as minhas fichas no ucraniano. Dolgopolov em 5 sets. Mas o último nem chega aos 13 games (hehe).

Pedro ‘Wawrinka is Good’ Liguori: Dolgopolov não é um mal jogador. Mas Tsonga é um top 10. E mesmo não apostando nele pra ir muito longe, pelo menos do ucraniano ele ganha, com um sustinho aqui outro ali.

Ferrer x Serra (H2H: 2-0):

Eu: Ferrer vence em 4 sets. Ou não.

Pedro ‘Soderling is the Best’ Liguori: Complicado. Ferrer não me inspira grandes confianças, mas Serra… menos ainda. Acho que o espanhol ganha essa.

Querrey x Dodig (H2H: 0-0):

Eu: O americano é a última esperança para que Andy Murray enfrente um adversário decente antes das semifinais. Ele leva em 3 sets.

Pedro ‘I Want some Mardy Fish for Dinner’ Liguori: Querrey. Simplesmente pelo fator saque. E o Dodig não é um Mahut da vida. Até acho que o Querrey é melhor que o Isner, mas tem menos cabeça. Vai fácil essa.

Belucci x Fischer (H2H: 0-1*):

Eu: O brasileiro número 1 do mundo passará em 4 sets. Guardem minhas singelas palavras.

Pedro ‘Mister Kirilenko’ Liguori: Não conheço o Fischer, mas conheço o Bellucci. E aposto nele, com meio pé atrás.

Mahut x Isner (59×59 em andamento) (H2H: 0-1):

Eu: Nunca dou sorte nesses tie-breaks longos. Se eu torço pra fulano, o ciclano vence. Eu estava torcendo para o francês, mas agora não quero que ninguém perca. Ainda assim, acho que o americano acaba levando por 63-61. Um clássico instantâneo.

Pedro ‘James Blake Orelhudo’ Liguori: Não teremos mais sete horas de jogo amanhã. O físico dos dois já foi embora, e acho que a conclusão vai ser rápida. Confio mais no americano, 63-61.

Outros jogos da rodada:

P. Petzschner vs. L. Kubot (H2H: 0-0)

G. Simon v. I. Marchenko (H2H: 0-0)

X. Malisse vs. Julian Reister (H2H: 0-0)

A. Beck vs. J. Benneteau (H2H: 0-0)

A. Seppi vs. Tobias Kamke (H2H: 1-0)

F. Fognini vs. Michael Russell (H2H: 0-1)

L. Lacko vs. J. Chardy (H2H: 2-0)

*Jogo válido pelo Challenger de Recanti, em 2009. Portanto, não conta para as estatísticas oficiais da ATP

É isso aí, pessoal! (Pernalonga está entre nós!) Fiquem ligados no próximo post. Vocês não irão se arrepender.

ST Team! 😉