cacwhere

Posts Tagged ‘Indy’

Who’s got the power?

In Indy on 01/10/2010 at 15:06

Franchitti e Power brigam por muito mais do que uma prancha

Esse post é mais um oferecimento a você, fã e leitor assíduo do Sportstour que sente a adrenalina correndo pelas veias quando vê os bólidos da Indy acelerando a uma média de 230 mp/h nos circuitos ovais da terra do Tio Sam. E também para você, que não sente nada disso.

Com mais uma temporada da Indycar, agora denominada Izod IndyCar por razões comerciais, as quais respeitamos, até porque o blog só tem esse nome por causa do patrocinador majoritário, chegando ao final, levamos a você senão uma retrospectiva, nem o guia definitivo da temporada 2010, um overview de como foi esse ano na Indy, o que Power e Franchitti fizeram e também o que precisam fazer para levar o caneco – e um de verdade, não apenas uma prancha promocional – para casa ao final da noite do dia 2 de outubro.

Are you ready? Drivers, start your engines!

Will Power

Revelação da temporada, ninguém foi melhor do que Willie P. nos circuitos mistos

587 pontos, 5 vitórias

Aos 29 anos, Will Power está longe de ser um estreante na Indy. Mas, assim como Mark Webber na F1, foi só agora, após um bom tempo de carreira, que Power briga pela primeira vez pelo título.

Pouco conhecido do grande público até esse ano, Power é mais um piloto que chegou na principal categoria americana de monopostos via Champ Car, quando as duas se uniram, no início de 2008. Power, na época piloto da KV, dirigia um bólido verde e amarelo – cores de seu país, a Austrália – e chegou a vencer uma prova, em circuito misto, sempre eles, em Long Beach, na prova de despedida da categoria rival da Indy. Naquele mesmo ano, Power só voltaria a ter destaque em Surfers Paradise, quintal de sua casa, numa prova extra-campeonato: marcou a pole, mas se acidentou e terminou apenas em vigésimo segundo.

Com o escândalo de sonegação fiscal envolvendo Hélio Castroneves, Power foi contratado pela Penske para substituir o brasileiro até que ele tivesse acertado suas contas com o Fisco estadunidense. O australiano não decepcionou e chegou em segundo em Long Beach, segunda prova da temporada. Mas tão logo Helio foi inocentado, voltou a assumir o carro branco e vermelho número 3 que lhe pertencia por direito. A Power, restou correr algumas provas avulsas, sempre no misto, usando o carro doze, amarelo, da Penske Trucks. Com essa condição, foi terceiro em Toronto e venceu em Edmonton, mostrando a que tinha realmente vindo. Porém, um duro acidente em Sonoma acabou com sua temporada.

Para esse ano, Roger Penske anunciou que, além de encerrar a mítica parceria de sua equipe com a Marlboro (que ainda mantinha suas cores nos carros), voltaria a contar com três pilotos titulares: Ryan Briscoe, vice-campeão de 2009, Castroneves, ídolo da turma, e o jovem Will Power, cuja inscrição da Verizon no aerofólio traseiro denunciava um bom motivo para ele lá estar.

Ao que interessa agora: para surpresa de todos – talvez não todos, mas pelo menos minha – desses três quem mais se destacou foi o próprio Power. Venceu no Brasil, fez pole nas três próximas corridas, vencendo em St. Petersburgh e terminando em quarto no Alabama e em terceiro em Long Beach, pulando na ponta do campeonato. Nas três próximas provas, todas em circuito oval (preferência nacional), Power não foi tão dominante e viu Scott Dixon tomar a liderança, logo depois recuperada e aumentada durante a segunda leva de pistas que não têm só curvas para a esquerda.

Foram vitórias em Watkins Glen, Toronto e Sonoma, segundos-lugares em Edmonton e Mid-Ohio, uma liderança folgada e o título de 2010 do Mario Andretti Road Championship, assim denominado em homenagem a uma das grandes lendas do automobilismo norte-americano, um dos poucos a conseguir ser bem sucedido também na Europa.

Faltando quatro provas – em ovais – até o final da temporada, Power vinha com uma vantagem de mais de cinqüenta pontos para Dario Franchitti. Um azar em Chicago derrubou vertiginosamente sua vantagem, e ele vai para a Season Finale com meros doze pontos o separando do escocês da Ganassi.

Fica claro que Power não é nenhum especialista em ovais. Mas também não costuma entregar a rapadura. Quase não comete erros e é bem regular – embora tenha sido sistematicamente batido pelo seu maior rival nessas pistas. Para vencer, não pode sentir a pressão e realizar sua melhor corrida em circuitos não-mistos no ano (até agora, o melhor que conseguiu foi um terceiro lugar na última corrida, em Motegi). Contar com a sorte, também, não seria uma má pedida – embora seja difícil acreditar em um erro de Franchitti ou de sua equipe.

Dario Franchitti

Já veterano, Franchitti busca seu terceiro título seguido

575 pontos, 3 vitórias

Aos 37 anos – para minha total surpresa – o caso de Dario Franchitti se assemelha um pouco ao de Kim Clijsters no US Open. Campeão em 2007 pela Andretti, Franchitti optou por não defender seu titulo. Ao invés disso, resolveu se aventurar na Nascar, principal categoria de turismo da América. Sem muito sucesso, foi no lugar de Dan Wheldon, ao carro 10 da Ganassi, que o Escocês Voador retornou.

E, em uma das temporadas mais emocionantes dos últimos tempos, quando três pilotos – além dele, Scott Dixon e Ryan Briscoe – disputavam o título, Franchitti venceu na estratégia, mostrou que não só com o pé se corre, e se firmou como um dos melhores, senão o melhor, piloto da Indy atual.

Nesse ano, o começo foi lento. 7º lugar em São Paulo, quinto em St. Petersburg, até que veio o primeiro pódio, no circuito de Barber, Alabama. A primeira vitória veio em grande estilo. Em Indianapolis, onde já tinha vencido em um episódio controverso, em 2007, Franchitti liderava a prova graças a uma tática de poupar combustivel. Nas últimas voltas, quando seu Ganassi quase se arrastava pelo Brickyard e Dan Wheldon, o defenestrado, a bordo do carro 4 da Panther vinha voando no seu encalço, Mike Conway decolou. A bandeira amarela foi acionada e Franchitti venceu.

Desde então, definitivamente na briga pelo caneco, Franchitti seguiu Power de perto durante a segunda temporada de mistos: vitória na estratégia em Mid-Ohio,  segundo lugar em Toronto e pódio em Sonoma, Watkins Glen e Edmonton. Favorito nas últimas quatro corridas da temporada, Franchitti subiu ao lugar mais alto do pódio em Chicago, no segundo mais alto em Motegi e foi quinto em Kentucky – nas três ocasiões terminando a frente do australiano da Penske, vencendo o 2010 A.J. Foyt Oval Championship, auto-explicativo.

Pode-se dizer que, dependendo da matemática, Dario só dependa dele mesmo para faturar o terceiro titulo consecutivo da Indy. Sabendo do piloto que ele é, essa diferença de pontos é menor do que parece ser. E que ninguém duvide que em Homestead ele dê show e saia de lá com uma coroa de louros em volta do pescoço, um gordo cheque em sua já bem abastada conta bancária, tudo selado com um beijo de sua mulher, a atriz Ashley Judd.

A matemática do título

Há de se anotar que a Indy distribui pontos extras: um adicional ao pole-position e dois pelo piloto que liderar o maior número de voltas. Em Homestead, Miami, corrida patrocinada pela Cafés do Brasil (LOL), circuito oval tradicional, com 200 voltas, o piloto que liderar 101 já assegura esses dois pontos.

Com a diferença entre Power e Franchitti na casa de 12, a matemática do título é a seguinte, lembrando que Power leva a vantagem no número de vitórias, em caso de empate:

– Só pelo fato de largarem, os dois já somam, no mínimo, 10 pontos. Ou seja, Franchitti terá de terminar no mínimo em 8º (24 pontos) para ser campeão. Isso no caso de Power abandonar.

– Caso conquiste a Pole, Franchitti soma mais um ponto e joga a diferença em 11. Se vencer e Will Power chegar em segundo, não leva por um mísero ponto. Se vencer liderando o maior número de voltas, leva pelo mesmo mísero ponto.

– Sem liderar o maior número de voltas nem fazendo a pole, mas vencendo, Franchitti precisa que Power termine em terceiro, no máximo.

– Não vencendo a corrida nem conquistando a pole, Franchitti precisará contar com uma péssima corrida de Power. Chegando em segundo, soma 40 pontos. Nesse caso, Power teria que terminar em 7º ou abaixo. Terminando em 3º, Power precisa ser 9º.Abaixo disso, o australiano teria que fazer uma péssima corrida e terminar abaixo do top-1o

– Para Power, basta terminar a frente de Franchitti. Se o australiano fizer a pole, joga a diferença em 13 pontos e pode ser campeão, mesmo com Franchitti vencendo e fazendo o maior número de voltas na liderança.

Dados complementares:

Onde? Homestead, Miami

Quando? 2/10, sábado, corrida noturna, a partir das 20 horas, na Band e Bandsports

Meu conselho? Não percam!

ST Team! 😉

Advertisements

Best of the (last) Week (2)

In all sports on 28/07/2010 at 22:50

Mardy Fish wins Atlanta Championship

Tênis

Semana agitada na ATP/WTA. Começando pelos torneios ATP. O 500, em Hamburgo, acabou com a vitória inédita de um cazaque: Andrey Golubev bateu Jurgen Melzer na final.

No primeiro evento da US Open Series, em Atlanta, uma final que daria orgulho ao Tio Sam: Mardy Fish derrotou John Isner. Fish conquistou seu segundo titulo consecutivo – e aumentou sua invencibilidade para 10 partidas consecutivas. Olho nele!

Na WTA, Anna Chakvetadze, lembram dela, ex-top-5? Então, venceu em Portoroz, derrotando a sueca Johanna Larsson na final. Já em Bad Gastein, Julia Goerges, alemã de 21 anos, venceu Alize Cornet na semi-final e Timea Bacsinzsky na final – no mesmo dia, domingo.

Moto GP

Deu a lógica. Jorge Lorenzo largou na pole e venceu. Chato, chato, como só uma corrida de motocicletas pode ser. Nem mesmo o bom circuito de Laguna Seca ajudou. Valentino Rossi, todo estourado e meio capenga, chegou em terceiro, atrás de Casey Stoner, a quem vai substituir, ano que vem, na Ducati. Chato, chato.

Futebol

Na quarta-feira, o Brasileirão viu um novo líder: o Fluminense, que se aproveitou da derrota do Corinthians para o já rebaixado Atlético-GO, 3-1, lá em Goiás. O tricolor carioca venceu o Cruzeiro, 1-0. Palmeiras e Botafogo ficaram no 2-2 e Ceará fez um, tomou outro, e ficou por isso mesmo, contra o Guarani.

No final de semana, uma 11ª rodada mixa em gols. Santos 1-0 São Paulo, que não sabe se Ricardo Gomes fica ou vai; o Corinthians venceu o Guarani na despedida de Mano Menezes, 3-1. O Fluminense de Muricy “rejeito a CBF” Ramalho não saiu de um empate por 1-1 contra o Botafogo.

Após essas duas rodadas, a tabela do campeonato ficou mais ou menos assim: o Corinthians retomou a liderança, 24 pontos. O Fluminense segue em segundo, 23. O Ceará permanece no G4, com 20 e o Internacional, em franca ascensão, tem agora 19, em quarto.

Na Zona da Degola, São Paulo, Goiás e Botafogo têm 12 pontos – no entanto, hoje o rebaixado seria o time de General Severiano. Um degrau abaixo, o Grêmio tem 11 pontos, o falso estrelado Atlético-MG tem 10 e o Atlético-GO tem 7.

Nessa semana também foi anunciado o novo técnico da Seleção Brasileira: Muricy foi convidado por Ricardo Teixeira, mas o Fluminense disse “não” e Muricy acatou: negou a proposta do Marajá da CBF, que recorreu a sua segunda opção, o bem cotado Mano Menezes, do Corinthians, que por sua vez é presidido por seu aliado, Andrés Sanchez. Mano aceitou de prontidão o convite, no sábado.

Para seu lugar, o Corinthians trouxe Adílson Batista, ex-Cruzeiro. Adílson estava no elenco do time “Campeão do Mundo” em 2000.

GP2

Pastor Maldonado continua implacável: no sábado, contou com erro do pole Charles Pic para disparar na liderança e vencer pelo terceiro sábado seguido. Sérgio Perez, mexicano da Barwa Addax, ficou em segundo. No domingo, na sprint race, Sergio Perez venceu, largando de sétimo. Oliver Turvey, da iSport e Adrian Zaugg, da Trident, completaram o pódio.

Na classificação, Maldonado segue firme rumo ao titulo. Lidera a tabela com 66 pontos. Perez vem em segundo, com 44, e Dani Clos em terceiro, com 43.

Nascar

Jamie McMurray, da Ganassi, venceu a Brickyard 400, disputada em Indianápolis. Juan Pablo Montoya largou da pole. Já no campeonato… Harvick, Gordon, Hamlin e Johnson são os 4 primeiros, praticamente garantidos no Chase.

Indy

Em Edmonton, no aeroporto, Will Power manteve-se na liderança até a ultima rodada de pitstops, quando optou pelos pneus errados e viu Helio Castroneves, seu companheiro de equipe, arriscar uma ultrapassagem – na Indy não tem ordem de equipe – e conseguir. Uma bandeira amarela com 3 voltas para o final embolou o pelotão, e, na relargada, Power partiu para cima de Helio, que defendeu sua posição. Isso fez com que Scott Dixon, que vinha em terceiro, pulasse para segundo. Helio recebeu a bandeirada em primeiro, porém em uma decisão absurda da direção de prova, o piloto brasileiro foi penalizado em 20s por bloquear Will Power. No fim, Scott Dixon acabou com a vitória. Will Power foi segundo e Dario Franchitti, o terceiro.

No campeonato, Power lidera com 420 pontos. Dario Franchitti vem em segundo, com 370, e Dixon é terceiro, com 349.

Tour de France

Alberto Contador levou a camisa amarela e sagrou-se tricampeão da Volta da França. O luxemburguês Andy Schleck foi o segundo no geral. O russo Menchov fechou o pódio na capital francesa.

Vôlei

O Brasil bateu a Rússia, em Córdoba, na Argentina, para vencer a Liga Mundial pela nona vez – estabelecendo um novo recorde. Parabenizo o time amarelo pelo recorde absoluto de títulos no esporte mais chato do universo.

That’s it.

ST Team! 😉

Programação ST (2)

In all sports on 21/07/2010 at 23:45

Photo: Google Images

Tênis

Outrora um Masters, Hamburgo hoje se tornou um torneio de nível 500. Mesmo assim, o torneio disputado em terras germânica atrai nomes de peso, e cede aos seus 16 primeiros cabeças de chave uma folga na primeira rodada. Lideram a lista de favoritos Nikolay Davydenko, 6 do mundo, que vem em má fase e defende o título e Jurgen Melzer, 15 do mundo. Thomaz Bellucci, número 1 do Brasil, disputará esse torneio. Cabeça 7, ele estréia na segunda rodada contra Simone Bolelli.

Senhoras e senhores, declaro aberta a temporada preparatória para o US Open! Com essa frase, provavelmente, vai ser iniciado oficialmente o torneio de Atlanta, primeiro da série que culmina com o último slam do ano, em Flushing Meadows. Disputado pela primeira vez desde 2001 na Geórgia, o torneio que substitui o ATP de Indianápolis (substituição que fez Marcos chorar) conta com Andy Roddick (EUA, 9), John Isner (EUA, 18), Lleyton Hewitt (AUS, 31) e Horacio Zeballos (ARG, 43) como principais favoritos, estreando apenas na segunda rodada. Defendendo o título, Robby Ginepri (EUA, 74), estreia contra um qualifier.

No circuito feminino, torneios em Portoroz, Eslovênia e Bad Gastein, Áustria. No primeiro, Jelena Jankovic (SRB, 2) encabeça a lista de favoritas, que contém também Petra Kvitova (CZE, 29), Anastasia Pavlyuchenkova (RUS, 31) e Sara Errani (ITA, 34). Na Áustria, a divertida Andrea Petkovic (ALE, 36) é a primeira cabeça de chave. Timea Baczinsky (SUI, 41), Anabel Medina-Garrigues (ESP, 44) e Klara Zakopalova (CZE, 45) completam as 4 melhores rankeadas do torneio que, assim como Portoroz, distribui 280 pontos para a campeã.

Futebol

Quarta-feira, dia 21, e quinta, dia 22, serão jogadas as partidas da 10ª rodada do Campeonato Brasileiro. Destaque para Grêmio vs. Vasco, no Olímpico, clássico dos desesperados, Palmeiras vs. Botafogo no Pacaembu e os líderes em campo: Atlético-GO vs. Corinthians, Guarani vs. Ceará e Fluminense vs. Cruzeiro.

Ainda na mesma semana, sábado e domingo acontece a 11ª rodada. Dessa vez, destaques para o clássico Santos vs. São Paulo, na Vila, domingo, Cruzeiro vs. Grêmio, no Mineirão, Corinthians vs. Guarani, no Pacaembu e Ceará vs. Palmeiras, no Castelão. No Rio, Botafogo vs. Fluminense. Dependendo da combinação de resultados, o Fluminense pode dormir, domingo que vem, líder do campeonato pela primeira vez desde… 2005, talvez.

Formula 1

Esse final de semana, em Hockenheim, a Fórmula 1 bota os carros na pista para a 11ª etapa do mundial de 2010. Lewis Hamilton, com sua McLaren, lidera o mundial de pilotos, seguido por Jenson Button, seu companheiro de equipe e a dupla da Red Bull, com Mark Webber e Sebastian Vettel. A McLaren lidera também o mundial de construtores.

Ano passado, o GP da Alemanha foi disputado em Nurburgring – as duas pistas fazem um revezamento desde 2007. Lá, Mark Webber, mesmo recebendo um drive through, venceu pela primeira vez na Formula 1. Seu companheiro de equipe, Sebastian Vettel, cruzou a linha de chegada em segundo e Felipe Massa, da Ferrari, ficou em terceiro.

Em 2008, última corrida no novo traçado de Hockenheim, Lewis Hamilton venceu. Em segundo, ajudado pelo acidente de Timo Glock, Nelsinho Piquet conseguiu seu único pódio da Fórmula 1. Felipe Massa terminou em terceiro, e quebrou um jejum de mais de 15 anos sem que dois pilotos brasileiros subissem ao pódio na mesma corrida.

Um atrativo a mais para a corrida deste domingo é a disputa interna que se agrava cada vez mais nos boxes da Red Bull, cheio de acusações mutuas entre Vettel e Webber. Resta saber como será o comportamento dos dois na pista.

GP2

A principal fornecedora de futuros talentos para a Formula 1 corre junto com a “categoria-mãe” na Alemanha. O veterano venezuelano Pastor Maldonado lidera o campeonato, seguido pelo mexicano Sergio Perez. Ambos já foram cotados na F1: Maldonado para a vaga de De La Rosa na Sauber, e Perez, na Virgin.

Indy

A última corrida da fase canadense do mundial da Indy acontece no aeroporto de Edmonton. Líder do campeonato, Will Power tenta aumentar sua supremacia em circuitos mistos, e busca repetir a vitória do ano passado, quando ainda corria com o carro amarelo da Penske Trucks. Em 2009, Power venceu, seguido por Helio Castroneves e Scott Dixon, respectivamente da Penske e Ganassi.

Moto GP

Nesse final de semana, como foi programado pela Dorna, a MotoGP desembarca no tradicional circuito de Laguna Seca, palco do embate épico entre Valentino Rossi e Casey Stoner, pelo mundial de 2008. The Doctor vem para sua segunda corrida após o acidente em Mugello, mas quem quer roubar os holofotes é seu companheiro de equipe, Jorge Lorenzo, atual líder do campeonato.

Ano passado, Dani Pedrosa, com sua Repsol Honda venceu, seguido pela dupla da Yamaha: Lorenzo em segundo e Rossi em terceiro.

A vontade da Ducati de anunciar Valentino Rossi já nessa corrida dá um toque especial para a primeira prova do campeonato mundial disputada em solo americano – a próxima será em Indianapolis, mês que vem.

ST Team! 😉

Best of the (last) Week

In all sports on 21/07/2010 at 22:25

Photo: Google Images

Tênis

Em Bastad, Nicolas Almagro, cabeça 4, bateu Robin Soderling, dono da casa, cabeça 1 e defensor do título, na final, para conseguir seu sexto titulo em nível ATP.

Albert Montañes, espanhol cabeça 5, venceu o torneio de Stuttgart e de quebra saiu dirigindo uma Mercedes. Para vencer seu quinto torneio, o espanhol contou com o abandono de Gael Monfils na final.

WTA: Agnes Szavay, da Hungria, venceu o quinto titulo da carreira em Praga; Kaia Kanepi, estoniana, que vem em boa fase, bateu a principal favorita, Flavia Pennetta, para faturar o torneio de Palermo, primeiro em nível WTA.

Indy

Em Toronto, pela Indy, Justin Wilson largou na pole, mas as desventuras de uma corrida fizeram com que a vitória ficasse com Will Power, líder do campeonato. Dario Franchitti, vice-líder, ficou em segundo em uma prova animadíssima.

Moto GP

Jorge Lorenzo fez a pole e Valentino Rossi voltou à MotoGP, mas quem comemorou de verdade em Sachsenring foi Dani Pedrosa. O pequeno espanhol cruzou a linha de chegada na frente do compatriota da Yamaha. Rossi largou em quinto e terminou em quarto.

Brasileirão

Pela oitava rodada, no meio de semana, o confronto dos líderes entre Ceará e Corinthians não saiu do 0. O Palmeiras triunfou no clássico paulista sobre o Santos (2-1), o Flamengo venceu o Botafogo (1-0) e o Atlético de Minas venceu o rival goiano por 3-2.

No final de semana, pela nona rodada, o Palmeiras de Felipão sucumbiu ao Avaí de Guga, 2-4, em Floripa. O líder, Corinthians, bateu o Atlético-MG em São Paulo, 1-0. Já o Ceará perdeu para o Inter (2-1, no Beira-Rio) sua invencibilidade. O outrora encantador Santos perdeu a segunda seguida, dessa vez para o Fluminense, em casa, também pelo placar mínimo.

Após nove rodadas, o Corinthians lidera o certame, com 21 pontos. O Fluminense vem em segundo, com 19. Ceará, com 18, e Cruzeiro, com 15 (empatado com o Flamengo) completam o G4.

Na zona do vinagre, Atlético-MG (fora pelo critério de desempate), Grêmio e Vasco, todos com 9 pontos, ocupam uma posição desconfortável. Com 7, o Atlético-PR mostra que mais uma vez é seríssimo candidato ao rebaixamento e o Atlético-GO, que surpreendeu na Copa do Brasil, com míseros 4 pontos, já caiu.

Baseball

O All-Star Week da  MLB teve como vencedor, no Home Run Derby, David Ortiz, do Boston Red Sox. O dominicano bateu 32 bolas para fora do Angel Stadium of Anaheim (estádio dos Los Angeles Angels of Anaheim).

O jogo das estrelas, entre as duas conferências, acabou com vitória da Liga Nacional sobre a Liga Americana: 3-1.

Um beijo, um queijo, e uma ótima semana esportiva para vocês, é o desejo mais profundo do ST Team! 😉

Programação ST

In all sports on 13/07/2010 at 00:40

Photo: Google Images

O Sports Tour orgulhosamente apresenta, hoje, sua mais nova série, dedicada exclusivamente a vocês, fãs, cujos calendários biológicos esportivos são diretamente programados por esse humilde blog.

Aqui falaremos sobre os principais eventos esportivos da semana.

Preparados? Então vamos lá.

Tênis

Quatro torneios movimentam o tênis de alto nível nessa semana. Pela ATP, são jogados torneios em Bastad e Stuttgart, ambos torneios de nível 250 que contam, no entanto, com jogadores de ranking alto.

Em Stuttgart, torneio com uma chave de 28 jogadores, Nikolay Davydenko lidera a lista de cabeças-de-chave. O número 6 do ranking de entradas estreia apenas na segunda rodada, assim como os cabeças 2, 3 e 4, Jurgen Melzer (AUT, 15), Gael Monfils (FRA, 17) e Juan Carlos Ferrero (ESP, 21), respectivamente, que também saem na frente em busca do título e uma Mercedes – patrocinadora majoritária do torneio. Outros jogadores importantes na busca pelo título são Albert Montañes, Gilles Simon, Phillip Kohlschreiber e Victor Hanescu, além de Jeremy Chardy, atual campeão do torneio disputado no saibro.

Em Bastad, Robin Soderling, que debuta no top-5, busca defender seu título em casa. Também no saibro e com 28 jogadores, a grande diferença de Bastad para Stuttgart é o prêmio para o campeão – o torneio alemão premia seu campeão com uma Mercedes. Soderling, Fernando Verdasco (ESP, 10), David Ferrer (ESP, 12) e Nicolás Almagro (ESP, 20), os quatro melhores pré-classificados estréiam apenas na segunda rodada. Compõem o grupo dos oito melhores rankeados Tommy Robredo, Paul-Henri Mathieu, Florent Serra e Denis Istomin.

Pela WTA, torneios em Praga – no qual a eterna namorada de Tomas Berdych, Lucie Safarova (CZE, 24) e Alexandra Dulgheru (ROU, 28) são as duas melhores pré-classificadas – e em Palermo, que conta com a presença de Flavia Pennetta (ITA, 12), Aravane Rezai (FRA, 21), a semi-finalista de Wimbledon, Tsevatana Pironkova (BUL, 35) e Kaia Kanepi, que fez uma grande campanha no gramado inglês. A estoniana ocupa, no momento, a posição de número 38 na ATP.

Baseball

Um dos esportes favoritos dos americanos tem, nessa semana, sua All Star Week. Para quem não é muito familiar aos jogos da terra do Tio Sam, a All Star Week é quando os melhores jogadores se encontram em eventos comemorativos e amistosos.

Ontem, segunda-feira, tivemos o Home Run Derby. Para quem não sabe as regras do Baseball, Home Run é a pontuação máxima do esporte, e consiste em rebater a bola para fora do Ballpark, também conhecido como campo. A programação para a semana segue. Hoje, 13 de Julho, teremos o All-Star Game. Ou seja, as duas conferências se enfrentam em uma partida, assim como ocorre no Football e no Basquete.

Futebol

Pois é, meus amigos. A espera de quatro anos pela Copa do Mundo – que dura apenas um mês – volta, porque o certame mais esperado do mundo acabou-se. Voltamos à rotina de meros mortais, com o Brasileirão. E o seu time entra em campo.

Voltando na oitava rodada, teremos o confronto entre líderes, Corinthians vs. Ceará e o clássico paulista entre Palmeiras – que tem a volta de Kleber Gladiador e Felipão – e os meninos do Santos, que conta com os garotos Neymar e Ganso, e logo contará com Keirrison, atacante revelado pelo Coritiba, contratado pelo Palmeiras e pelo Barcelona, que volta ao Brasil após uma passagem sem nenhum sucesso na Europa, por Benfica e Fiorentina, além do tradicional confronto de quatro finais consecutivas de campeonato carioca, Flamengo vs. Botafogo. Na parte inferior da tabela, o Atlético de Minas, sob o comando de Wanderley Luxemburgo e com o reforço de Diego Souza, enfrenta seus homônimos de Goiás, que vem de uma campanha desastrosa em sua volta à elite.

Completam a rodada: São Paulo v. Avaí, Grêmio v. Vitória, Atlético-PR vs. Cruzeiro, Guarani v. Internacional, Goiás v. Vasco e Flamengo v. Grêmio Prudente (ex- Roma e Grêmio Barueri).

Esses jogos serão disputados entre quarta-feira, 14, e quinta, 15 de julho.

Moto GP

No dia 18 de julho, domingo, o Campeonato Mundial de Motovelocidade chega à Alemanha. Mais precisamente, a Hohenstein-Ernstthal, onde Jorge Lorenzo, da Yamaha, tenta ampliar sua vantagem na liderança do mundial. Em 2009, Valentino Rossi saiu vencedor, com o mesmo Lorenzo em segundo e o espanhol da Repsol-Honda, Dani Pedrosa, em terceiro.

A semana do Grande Prêmio da Alemanha, em Sachsenring marca também a volta de Valentino Rossi, campeão mundial inúmeras vezes da categoria e principal adversário – além de companheiro de equipe de Lorenzo –, que testa uma Yamaha da Superbike, em Brno, República Checa, para avaliar suas condições físicas.

O italiano, que liderava a tabela, sofreu um acidente, há dois meses, na Itália, no qual quebrou a perna. Rossi tenta voltar para a próxima etapa, que será disputada na Alemanha, em Sachsenring.

Também foi confirmado que a Honda acertou com Casey Stoner, campeão mundial de 2007 e piloto da Ducati. Esse anúncio reforça ainda mais os rumores de que Valentino Rossi teria acertado com a equipe italiana para a próxima temporada.

Indy

Nesse domingo, dia 18 de Julho, a Indy chega ao Canadá para a disputa de sua décima etapa da temporada de 2010. A corrida será disputada na pista de rua de Toronto, e deve empolgar o líder do campeonato, o australiano Will Power, da Penske, cujo bom retrospecto em circuitos mistos o credencia como favorito. No campeonato, Power é seguido por Dario Franchitti e Scott Dixon, ambos pilotos da Ganassi. O escocês, vice-líder do campeonato, venceu nas ruas canadenses em 2009. Completaram o pódio da etapa do ano passado Ryan Briscoe, companheiro de Power na Penske e o próprio Will Power.

Provavelmente, a corrida será transmitida na íntegra pelo Bandsports, com um resumo na Band, devido ao conflito de horários com o Campeonato Brasileiro.

That’s all, folks, diria outro. Esse post é apenas uma base para os próximos, que irão ao ar sempre aos domingos, e serão muito melhor trabalhados.

Afinal, postamos bem para sermos visitados sempre.

ST Team! 😉