cacwhere

Posts Tagged ‘NFL’

NFL – Season 2010/11 (Week 5)

In NFL on 09/10/2010 at 18:27

 

A conexão Manning-to-Harrison é a mais produtiva da história da liga entre QB-WR. Ou seja, Marvin é lenda

 

The Greatest Show on Earth, Week 5. Com exceção de Pittsburgh Steelers (3-1), Miami Dolphins (2-2), New England Patriots (2-2) e Seattle Seahawks (2-2), todos os outros vinte e oito times entram em campo e se degladiam para centenas de milhares de fãs ensandecidos.

Do momento em que os Jaguars pisarem no estádio de Buffalo para enfrentar o time da casa até o fim do 2 minute warning do 4º período de Jets e Vikings no frio H. H. Humphrey Metrodome, não se falará de outra coisa na terra do Tio Sam. Como está grafado em uma das primeiras passagens do livro sagrado, “E então Ele disse; que se façá o football. E assim se fez”

Aos cerebrais palpites de Marcos, que aproveitou o feriado de Dia das Crianças  para voltar a terrinha, sede do império Sportstour de Comunicações Esportivas, e aos meus costumeios erros.

Os palpites da Semana 5, ei-los:

 

(0-4) Buffalo Bills v. Jacksonville Jaguars (2-2) (Historico: empatada em 5-5)

Eu: Sei que os Bills não terminam o ano com 0-16. Sei também que eles podem muito bem vencer esse jogo, até porque tenho certeza que a rivalidade contra os Colts é que fizeram o sucesso do time semana passada. Mas… ainda aposto nos comandados de Garrard, mesmo com muita dúvida.

Marcos ‘Te perdôo… not’ Semensato: Bills, porque eu sou uma pessoa que não pensa em vingança.

 

(3-1) Baltimore Ravens v. Denver Broncos (2-2) (Ravens lidera, 5-3)

Eu: Orton está vivendo um conto de fadas, graças ao técnico, cujo nome me foge da memória, e Baltimore ainda não mostrou todo aquele favoritismo que se esperava de. Mas todo conto de fadas tem seu final, e em casa acredito mais em Baltimore. Arriba, Flacco!

Marcos ‘Ortonmolecular’ Semensato: Hum…. eu adoraria apostar em você Orton, justamente porque Baltimore não me convenceu até agora. Mas vou com eles, sorry. Ravens!

 

(2-2) Indianapolis Colts v. Kansas City Chiefs (3-0) (Colts lideram 12-7)

Eu: Os Colts não têm safeties. E os Chiefs tem um jogo corrito muito deficitário. Kansas surpreende para o bem, e os Colts, para o mal. Mas o universo volta aos seus eixos com uma vitória dos potros selvagens.

Marcos ‘protesto’ Semensato: Alô? Defesa? Pois é, como punição à exibição lamentável da semana passada, deixarei meu palpite em branco.

 

(2-2) Washington Redskins v. Green Bay Packers (3-1) (Green Bay lidera a série, 18-13-1)

Eu: Os coirmãos vermelinhos se acham a ultima bolacha do pacote. Mas não são. E Green Bay é? Talvez nem seja, mas ganha. Aliás, só Green Bay ganha os jogos contra os Skins recentemente. A última vitória do time de Landover data de 1988. E Green Bay ganha mais essa.

Marcos ‘homecourt advantage’ Semensato: Packers, outra grande equipe que ainda não me convenceu. Mas joga em casa, então vence.

 

(0-4) Detroit Lions v. St. Louis Rams (2-2) (St. Louis lidera, 42-38-1)

Eu: Tem tudo pra ser um bom jogo. Os Rams vêm em franca ascensção, Bradford venceu a primeira dele na liga e gostou da coisa! Já os Lions estariam MUITO melhores caso Matthew Strafford, o menino de vidro, estivesse jogando. Mas mesmo com Shaun Hill tá quase lá… dificil apostar nesse jogo. Um passarinho azul me fala pra apostar em Bradford – mais uma vez.

Marcos ‘Bradford, o novo Manning’ Semensato: Ouch. Moedinha para dois times que surpreendem. Detroit, por quase vencer os quatro (!) jogos que perdeu, St. Louis por estar 2-2. Joguei pro alto e deu…. Rams. Go, Bradford!

 

(0-4) Carolina Panthers v. Chicago Bears (3-1) (Panthers lidera 3-2)

Eu: Jogo sofrível. A esperança dos Bears era Jay Cutler – e quem diria? Mas ele se machucou, e agora Todd Collins virou titular. Sofrível. Pelo lado dos Panthers, Jimmy Clausen vem se firmando. Carolina bateu na trave semana passado. Acho que essa semana vai. Dá Panthers

Marcos ‘Carolina do Norte ou do Sul’ Semensato: A zebra da rodada. Panthers, sem mais.

 

(2-2) Cincinnati Bengals v. Tampa Bay Buccaneers (2-1) (Tampa lidera, 6-3)

Eu: Bengals com cara de 8-8, o que seria terrível. Buccaneers com cara de coisa parecida, o que seria uma bela melhora. Questão de referencial. Ochocinco, referencia no ataque dos Bengals. Eles ganham

Marcos ‘Na minha modesta opinião’ Semensato: Na minha nada modesta opinião, é o jogo mais nada a ver da rodada. Eu não sei qual é a dos Bengals, nem mesmo a dos Bucs. Como Cincinnati joga em casa, vou com os Buccaneers. Sei lá porque razão! Haha.

 

(1-3) Cleveland Browns v. Atlanta Falcons (3-1) (Cleveland lidera, 10-2)

Eu: Os Falcons estão voando! (Rááááááá). Ganham mais essa. Ou, por adorarem me contradizer, podem até perder. Mas não acredito nisso.

Marcos ‘Falcão branco em perigo’ Semensato: Eu acho que Cleveland tem uma chance muito grande de vencer. De verdade, mesmo. Mas vou com Atlanta.

 

(3-1) Houston Texans v. New York (2-2) (Empatados em 1-1)

Eu: Pobres coirmãos rosáceos. Schaub lidera os Texans em mais uma grande vitória, e Houston cada vez mais perto da primeira pós-temporada de sua história.

Marcos ‘New York, New York’ Semensato: Urgh. Mais um daqueles jogos que eu preciso ser profissional. Texans. Urgh.

 

(2-2) Arizona Cardinals v. New Orleans Saints (3-1) (Empatados em 13-13)

Eu: Vem pros Cowboys, Fitz! Em Arizona você não vai conseguir mais nada, querido. Quem começa esse jogo pelo time de Phoenix é o terceiro QB ao começo da temporada, o novato Max Hall. Triste. Dá Saints.

Marcos ‘Doei 50 paus pras vítimas do Katrina’ Semensato: New Orleans não vem jogando bem nos últimos três jogos… mas contra Arizona… pois é, dá New Orleans.

 

(1-2) Dallas Cowboys v. Tennessee Titans (2-2) (Dallas lidera 7-5)

Eu: Nunca vou apostar contra os Cowboys. O esquema desse jogo é parar Chris Johnson – a melhor arma do antigo Houston Oilers. Mas, do jeito que Dallas dá sorte, capaz que Vince Young passe para 434 jardas. Não vai acontecer. DALLAS, pra tirar o negativo do record.

Marcos ‘Give an I, give me a N, a D and a Y’ Semensato: D-A-L-L-A-S! Dallaaaaas, uhuuuuuul! Relembrando meus momentos como cheerl… digo… eu acho que Dallas vence. E bem. Cowboys por duas posses de bola.

 

(1-3) Oakland Raiders v. San Diego Chargers (2-2) – DIVISIONAL (Raiders lideram 55-44-2)

Eu: Jim Plunkett voltou? Al Davis no auge? John Madden? ah, não? Torcedores dos Raiders, peçam pra tirar o tubo. Chargers ganham mais uma – desde 2003, só dá San Diego.

Marcos ‘Espartano’ Semensato: Chargers. Fica feliz, riozinho.

 

(0-4) San Francisco 49ers v. Philadelphia Eagles (2-2) (49ers lideram 17-11-1)

Eu: É hoje????? San Francisco tá quase lá… da ultima vez que jogaram no prime time deram um calor nos Saints. Acho que vai. Alex Smith em noite de Jeff Garcia – falta um tanto ainda pra ser Steve Young. Montana, só em outra encarnação.

Marcos ‘Apito amigo’ Semensato: Agora vai. San Francisco, com uma atuação de gala dos juízes. Porque só assim pra ganhar, né? 49ers for the win!

 

(1-2) Minnesota Vikings v. New York Jets (3-1) (New York lidera, 7-1)

Eu: Temos todos os ingredientes para um jogão aqui. Randy Moss volta aos Vikings, Brett Favre voltando do bye, Monday Night Football… do lado verde, Darrelle Revis volta, Santonio Holmes estréia e L.T. tenta repetir seu bom jogo de semana passada. Difícil apostar em alguém aqui. Ai ai… Jets.

Marcos ‘Velociraptor’ Semensato: Vai ser divertido. Torcer contra o T-Rex Ryan ou para o vovô ‘Farve’ ser sacado mais 57 vezes e lançar umas 81 interceptações? Vou apostar nos Vikings. Até porque seria muito engraçado ver a cara dos ex-amiguinhos do Moss em New England.

 

O melhor da rodada:

Eu: Jets @ Vikings

Marcos ‘Batracomiomaquia’ Semensato: St. Louis @ Detroit

O pior:

Eu: Panthers @ Bears

Marcos ‘Random nickname’ Semensato: Tampa @ Cincinnati

O mais interessante:

Eu: Green Bay @ Washington.

Marcos ‘Profissionalismo’ Semensato: Eu adoraria dizer Indianapolis (2-2) contra Kansas City (3-0), porque convenhamos, a história por trás dos recordes não parece real. Mas é. O problema é que eu não posso, não… prometi pra mim mesmo… então fico com o que seria o meu ‘segundo colocado’: New York Giants @ Houston Texans.

 

That’s it!

ST Team! 😉

Advertisements

Pensamentos de Quarta Rodada

In NFL on 05/10/2010 at 16:30

Breast cancer awareness month: A NFL pintada de rosa. Excelente iniciativa da liga (Photo: NFL.com)

Nem parece, mas o primeiro quarto da temporada regular da NFL já foi. Os sete meses de espera entre o Superbowl decidido em Miami em fevereiro e o kickoff em New Orleans, em setembro parecem eternamente mais longos do que o tempo em que a temporada rola.

Esse final de semana a bola oval voou em 14 partidas, disputadas entre a 1 hora da tarde (horário dos EUA) de domingo até o início brasileiro da madrugada de terça feira. No site da NFL, a fila de placares, agora devidamente acinzentados e sem chance de serem movimentados se inicia com New York Jets e Buffalo Bills e se encerra com New England Patriots e Miami Dolphins – curiosamente, os dois confrontos da AFC East.

Se por um lado não tivemos nenhum ‘heartbreaker’, essa rodada, que esteve repleta de jogos bons, mas nenhum espetáculo (a menos que se tratasse de um show de horrores), acabou por deixar o Kansas City Chiefs – que nem jogou – como o último invicto. Quem diria, meus amigos?

Ao que importa agora, os resultados, os melhores, os piores e aqueles que merecem uma menção honrosa.

(0-4) Buffalo Bills 14-38 New York Jets (3-1) – (divisional)

(1-4) Cleveland Browns 23-20 Cincinnati Bengals (2-2) – (divisional)

(3-1) Pittsburgh Steelers 14-17 Baltimore Ravens (3-1) – (divisional)

(2-2) Tennessee Titans 20-26 Denver Broncos (2-2)

(3-1) Green Bay Packers 28-26 Detroit Lions (0-4) – (divisional)

(3-1) Atlanta Falcons 16-14 San Francisco 49ers (0-4)

(3-1) New Orleans Saints 16-14 Carolina Panthers (0-4) – (divisional)

(2-2) St. Louis Rams 20-3 Seattle Seahawks (2-2) – (divisional)

(2-2) Jacksonville Jaguars 31-28 Indianapolis Colts (2-2) – (divisional)

(1-3) Oakland Raiders 24-31 Houston Texans (3-1)

(2-2) Philadelphia Eagles 12-17 Washington Redskins (2-2) – (divisional)

(2-2) San Diego Chargers 41-10 Arizona Cardinals (2-2)

(2-2) New York 17-3 Chicago Bears (3-1)

(2-2) Miami Dolphins 14-41 New England Patriots (2-2) – (divisional)

O pior:

Jay Cutler no chão - a cena que mais se repetiu no domingo à noite. Veja como ele já nem liga mais

 

Sem qualquer sombra de dúvida, o duelo de 85 anos de New York e Chicago Bears. Talvez assistir ao ‘Spelling Bee’* que abriu a transmissão na ESPN tivesse sido melhor. Um primeiro tempo sofrível, de dois times erráticos, que beiram o ridículo – tomem nota que sempre disse que os Bears eram overrated. Ao final dos primeiros 30 minutos, New York tinha uma vantagem de 3 pontos no placar e 9 sacks. Isso mesmo, Jay Cutler apanhou NOVE VEZES da defesa do time azul.

No segundo tempo, Todd Collins, 16 anos de NFL e 22 touchdowns – tenham noção – assumiu o posto de Quarterback para Chicago, já que Jay Cutler apanhou tanto que fingiu uma concussãozinha só pra não passar mais vergonha. E de nada adiantou. New York – na base do jogo corrido, porque vou te falar, aquele Eli Manning com seu pega-rapaz… – marcou dois touchdowns, bateu mais umas duas vezes em Collins, que acabou indo embora. Entrou o terceiro QB de Chicago, e restou ao time da Big Apple ajoelhar na redzone dos Bears para gastar tempo ao final do segundo tempo. Horrível.

O mais interessante:

O bom filho a casa torna. De um jeito ou de outro

Philadelphia v. Washington mesmo. No princípio, McNabb foi ovacionado pela torcida que ele tanto conhece e que tanto conhece ele, após onze anos de serviços prestados aos Eagles. Mas foi só a bola rolar para que os Skins mostrassem superioridade, e ao final do jogo vaias começavam a ser proferidas para Donovan e seus camaradas.

Nesse meio tempo, os Eagles tiveram uma péssima atuação defensiva, mas se arrumaram. Começaram devagar no ataque, mas se arrumaram – e Michael Vick resolveu correr, passar e chegou a fazer um touchdown, invalidado por falta. No mesmo lance, o QB numero 7 de Philly se machucou e saiu do jogo. Kevin Kolb herdou a fogueira, e não decepcionou. É um bom QB, mas ainda precisa aprender demais. Os Skins, no entanto, perderam Clinton Portis – ao lado de Santana Moss (receiver) e Chris Cooley (Tight End) as únicas (não é nem melhores, é únicas mesmo) opções do ataque vermelinho.

Mas uma Hail Mary de Kolb, que Avanti teve na mão mas não agarrou acabou por dar a vitória ao time da capital americana, na casa do rival, em um jogo completamente morno dentro de campo.

O melhor:

Houshmandzadeh, o herói, celebra. E lá se foi o limite de caracteres...

 

Pela primeira vez, não vi nenhum jogo que me despertasse um sinal que me fizesse dizer: “É esse”. Pensei no duelo animal entre Potros e Jaguatiricas, mas seria injusto com o dono do blog. Pensei em Patriots e Dolphins, mas a atuação de Miami foi ridícula – nunca vi uma performance tão pífia de um time de especialistas. Por fim, pegando os jogos decididos por uma diferença mínima, temos Lions e Packers, mas foi um jogo errático; Saints e Panthers, mas não foi tudo isso também; 49ers e Falcons, mas San FranSisco (como está no release que eu baixei haha) entregou a mortadela.

Sobra, portanto Ravens e Steelers. Os Steelers, no último jogo antes do retorno de Big Ben Roethlisberger (saúde, diria Cléber Machado – ou não) defendiam sua invencibilidade, em casa, ante a um rival de divisão. Ainda não assisti ao jogo, mas foi uma bela atuação das duas equipes, com destaque para Joe Flacco que ganhou o jogo num passe para T.J. Houshmandzadeh, ou ‘Housyomamma’ ou até mesmo ‘O Wide-Receiver da camisa 84’, como queira.

Jogo de muita rivalidade entre os dois melhores times da AFC North. No entanto, a meu ver – o que não significa merda nenhuma, perdão o palavreado – vejo os Steelers melhores. Tem algo estranho com os Ravens, e eu não sei dizer o que é. Já a defesa de Pittsburgh, como de costume, vem jogando bem. E o ataque terá o reforço do quarterback titular.

Esperemos.

————————————————————————————————-

Playoff Picture

Contando com os byes de Tampa Bay Buccaneers (2-1), Dallas Cowboys (1-2), Kansas City Chiefs (3-0) e Minnesota Vikings (1-2), aos playoffs estariam classificados os seguintes times:

Como campeões de divisão na AFC: New York Jets (2-1, lidera nos critérios de desempate), Baltimore Ravens (3-1, lidera nos critérios de desempate), Kansas City Chiefs (3-0) e Houston Texans (3-1), respectivamente nas divisões East, North, West e South.

Como Wildcard na AFC: New England Patriots (3-1) e Pittsburgh Steelers (3-1), das divisões East e North.

Como campeões de divisão na NFC: Atlanta Falcons (3-1, lidera nos critérios de desempate), Chicago Bears (3-1, lidera nos critérios de desempate), Washington Redskins (2-2, lidera nos critérios de desempate) e Arizona Cardinals (2-2, lidera nos critérios de desempate), como representantes das divisões South, North, East e West, respectivamente.

Como Wildcard na NFC: New Orleans Saints (3-1) e Green Bay Packers (3-1), pela divisão South e North, respectivamente.

Interessante notar que os Wildcards da NFC têm campanhas melhores que as dos líderes das divisões Leste e Oeste.

Por fim, as parciais do ranking dos palpites do ST:

Week 1: Marcos (10-6); Pedro (7-9)

Week 2: Marcos (10-6); Pedro (9-7)

Week 3: Pedro (8-8); Marcos (8-8)

Week 4: Marcos (11-3); Pedro (6-8)

Overall: Marcos (39-23); Pedro (30-32)

PS: 6-8 contra 11-3? Meu deus. 39-23 contra 30-32 no overall? Yankees vs. Mets. Shake my head.

E vocês? O que acham?

ST Team! 😉

*Spelling bee: Campeonato de soletrar

NFL – Season 2010/11 (Week 4)

In NFL on 02/10/2010 at 22:11

Rest In Peace Kenny McKinley, former University of South Carolina & Denver Broncos

Semana 4 da NFL na área e com ela, 14 jogos prontos para ser analisados.

Nesta semana quatro times estão de ‘bye’, espécie de semana de descanso e, por isso, fãs dos Cowboys, Vikings, Chiefs e Buccaneers, vocês estão de folga (ipi, ipi, urra!).

Lembrando que apenas três equipes ainda estão invictas na temporada e duas delas – Chicago Bears e Pittsburgh Steelers – jogam esta semana.

Vamos aos palpites:

New York Jets @ Buffalo Bills (divisional)

Eu: Jets, com alguma dificuldade.

Pedro Liguori: Jets, simplesmente porque não dá pra perder pra esse time de Buffalo.

Cincinnati Bengals @ Cleveland Browns (divisional)

Eu: Fico me coçando para apostar numa zebra, e como isso aqui não vale prêmio ou dinheiro, vou com os Browns. Eles não são tão ruins quanto parece.

Pedrinho: Bengals, pelo menos motivo acima. Só troque Buffalo por Cleveland.

Baltimore Ravens @ Pittsburgh Steelers (divisional)

Eu: Ravens, porque os Steelers não vão conseguir 4-0 sem Big Ben Roethlisberger. Ui!

PL: Complicado, é um clássico divisional. Pittsburgh vem encantando e os Ravens não – uma bela duma surpresa. Não importa em quem eu aposte, vou errar o palpite. Assim sendo, vou com os Steelers – só porque eu quero que Baltimore ganhe.

Denver Broncos @ Tennessee Titans

Eu: Acho que teremos um bom jogo aqui. E, querendo eu ou não, vai dar Titans.

P.Liguori: Nivelado por baixo. Também tem cara de jogo que eu vou errar, não importa em quem aposte… Denver vem de derrota, Tennessee de vitória, o jogo lá em Nashville… Titans, no sufoco.

Detroit Lions @ Green Bay Packers (divisional)

Eu: Wow. Na teoria, este é o jogo mais desigual da rodada. Mas como é um jogo de divisão, tem toda a rivalidade, acho que vai ser mais parelho do que parece. Mas dá Green Bay.

Pedro.L: Detroit vai começar seu rebound derrotando Green Bay no Lambeau. É, não, chega. Green Bay.

San Francisco @ Atlanta

Eu: Pobres franciscanos, começarrão a temporada com 0-4. E os playoffs? Hmmm. I don’t think so.

Pe Li: Falcons on fire! San Francisco, de quem se esperava muito, só vem apanhando, e já perdeu para times piores. Dá Falcons.

Carolina Panthers @ New Orleans Saints (divisional)

Eu: Ano passado os Panthers derrotaram os Saints graças ao excelente jogo do corrido. Acho que eles tem uma chance de repetir o feito. Vai ficar no ‘acho’ mesmo. New Orleans leva.

Pietrus: Quantos confrontos desiguais, pelo amor de Vince Lombardi! Se os Saints perderem essa… bom, nem digo o resto. Pobre Panthers, vão atrás do recorde de 1-15 de 2002.

Seattle Seahawks @ St. Louis Rams (divisional)

Eu: Se eu disser, novamente, que estou animado com Seattle, como fiz após a Week 1, vou me decepcionar. Então vou com Sam Bradford e tropa. St.Louis com a vitória.

odreP: Taí um jogo que eu particularmente quero ver. Sam Bradford venceu a primeira na NFL, Seattle ganhou outra… confronto divisional, bem interessante. Aposto no Seattle – AINDA.

Indianapolis Colts @ Jacksonville Jaguars (divisional)

Eu: Ano passado, os Colts venceram os Jaguars por 14-12 e 35-31, em dois jogos disputadíssimos. Eu acredito que esse termine com uma diferença de 10 pontos. Colts é a minha aposta.

irougiL: Não precisa nem jogar essa. Colts, e o jogo será tão fácil que o Manning vai aproveitar pra tirar uma daquelas cadeiras de praia e aproveitar o sol da Florida durante os snaps.

Houston Texans @ Oakland Raiders

Eu: Hmmm. Vou com a zebra pela segunda vez na rodada. Raiders vencem. Chora, Kubiak.

Pedrin: Dave Casper e Ken Stabler ainda jogam nos Raiders? Ah, não? Agora é Gradkowski e Louis Murphy? Ah, então tá né. Houston ganha.

Washington Redskins @ Philadelphia Eagles (divisional)

Eu: Não vou dizer que é um jogo de vida ou morte para os Redskins, mas se eles quiserem brigar por uma vaga nos playoffs, esse é um jogo que se ganha ou se ganha. Michael Vick vem jogando muito bem, mas Donovan McNabb é um QB melhor, mais experiente… e por isso vou com a ‘zebra’ novamente. Washington vence.

Little Peter: Clássico, o reencontro de McNabb com o Lincoln Financial Field – E NÃO É JOGO DE PRIMETIME!!! Aposto nos Eagles, do Michael Vick on fire.

Arizona Cardinals @ San Diego Chargers

Eu: Em casa? Chargers.

Give me a P, give me a L, PL: Normalmente é nessa rodada que os Chargers engatam a segunda marcha e vão. Se depender desse jogo, pelo menos, o retrospecto negativo vai embora. Dá Chargers.

Chicago Bears @ New York Giants

Eu: Vou com os Giants aqui. Começar 1-3 seria o fim da parceria entre os Giants e Tom Coughlin.

Meu nome é Pedro: Chicago Bears. Brian Urlacher e Julius Peppers vão pegar o Pequeno Manning, jogar ele no chão, pisar em cima, e cuspir na cara dele e daquele logotipo ofensivo que tem nas endzones. E os coirmãos rosáceos seguem ladeira abaixo.

New England Patriots @ Miami Dolphins (divisional)

Eu: Aaaah, moedinha ao trabalho! Porque? Não acho que Miami perde 2 seguidas em casa, nem acho que New England vai perder pela segunda vez em três jogos para rivais de divisão. Joguei pro alto e deu New England. No melhor jogo da rodada.

P-P-Pe-Pedro Liguori: Ah, não sei. Juro que não sei. Dois grandes times, um grande jogo… E eu não faço idéia em quem apostar. Dolphins, porque a defesa dos Patriots é uma mãe.

Melhor jogo

Eu: Ler meu palpite para ‘New England @ Miami’.

Pedrinzin: Redskins vs. Eagles

Pior Jogo

Eu: Detroit @ Green Bay

Pedrão: Bengals vs. Browns

One to Watch

Eu: Seattle @ St.Louis

Peter Lig: Chicago vs. New York – só pra saber qual é a dos dois.

Well, well, well… ficamos por aqui.

Tenham um bom domingo (e uma boa segunda-feira, caso seja torcedor de Miami ou New England) de football. Vemos vocês na semana que vem!

ST Team! 😉

Pensamentos de Terceira Rodada

In NFL on 28/09/2010 at 15:13

NFL's best on Sportstour

Seguindo a tradição, o SportsTour leva até você  os resultados e o que de melhor e pior aconteceu na semana 3 da NFL, o maior show da Terra, jogada entre domingo e segunda. Foi a última rodada a não ter bye – ou seja, com todos os 32 times em campo. A partir de agora, alternadamente, todos os times ganharão uma semana livre (e ainda me querem fazer temporada com 18 jogos, que ridículo).

Ao fim das dezesseis partidas, apenas três times permanecem invictos: Pittsburgh Steelers, Kansas City Chiefs e Chicago Bears venceram todas suas três partidas. Acredito que, antes da temporada começar, as chances de alguém ter apostado nisso são praticamente as mesmas de eu conhecer essa moçoila talentosa da foto acima. Na rabeira da tabela, já muito mais previsível, Cleveland Browns, Carolina Panthers, Buffalo Bills, Detroit Lions e San Francisco 49ers não venceram ainda. Tirando os 49ers, dos outros quatro não se espera muita coisa.

Por fim, vamos aos resultados e considerações da 3ª semana.

(1-2) New York Giants 10-29 Tennessee Titans (2-1)

(0-3) Carolina Panthers 7-20 Cincinnati Bengals (2-1)

(2-1) Tampa Bay Buccaneers 13-38 Pittsburgh Steelers (3-0)

(2-1) New England Patriots 38-30 Buffalo Bills (0-3) – DIVISIONAL

(2-1) Baltimore Ravens 24-17 Cleveland Browns (0-3) – DIVISIONAL

(3-0) Kansas City Chiefs 31-10 San Francisco 49ers (0-3)

(2-1) Houston Texans 13-27 Dallas Cowboys (1-2)

(1-2) Minnesota Vikings 24-10 Detroit Lions (0-3) – DIVISIONAL

(2-1) New Orleans Saints 24-27 Atlanta Falcons (2-1) – DIVISIONAL/OT

(1-2) St. Louis Rams 30-16 Washington Redskins (1-2)

(1-2) Jacksonville Jaguars 3-28 Philadelphia Eagles (2-1)

(1-2) Denver Broncos 13-27 Indianapolis Colts (2-1)

(2-1) Arizona Cardinals 24-23 Oakland Raiders (1-2)

(2-1) Seattle Seahawks 27-20 San Diego Chargers (1-2)

(2-1) Miami Dolphins 23-31 New York Jets (2-1) – DIVISIONAL

(3-0) Chicago Bears 20-17 Green Bay Packers (2-1) – DIVISIONAL


O pior

"Até quando eles vão fazer faltas?" "Eu não sei! Sou só o Quarterback"

No campo, Bears e Packers, a rivalidade mais antiga da liga, não fui ruim, pelo contrário, foi um baita jogo. Mas não classificar o que aconteceu ontem como o pior jogo da rodada iria contra meus princípios. Tudo isso porque os Packers cometeram 18 faltas. Isso mesmo, dezoito, maior marca da franquia, ultrapassando as dezessete de 1945. Não dá, isso é uma afronta ao esporte. E, por isso, os Packers perderam. Sim, porque continuo achando o time dos Bears overrated. Venceram o Lions numa jogada polêmica, ganharam de um errático Dallas Cowboys e agora viram os Packers entregarem o jogo com todas essas faltas. Mas eles não tem nada a ver com isso, e começam a temporada com um 3-0, que virará 4-0 semana que vem após o Sunday Night Football (v. New York).

O mais interessante

O Onside Kick no Superbowl funcionou; tentar congelar o chute do próprio kicker, não. Pois é, Sean Payton...

Mais uma vez fiquei em dúvida entre qual seria o melhor e qual seria o mais interessante dos jogos dessa semana. Falcons vs. Saints, duelo divisional da NFC South, enolvendo os atuais campeões mundiais e um bem cotado Atlanta, acabou em segundo lugar simplesmente por causa do erro de Garret Hartley e os turnovers durante o tempo regular.

De qualquer forma, foi um jogão, cheio de alternativas e com um final eletrizante. Partida decidida nos últimos dois minutos da prorrogação, e quase temos o primeiro empate em dois anos. sem muito mais a comentar, espero ver esses dois times nos playoffs ao final da regular season.

O melhor

Muitos passes + poucos erros = melhor jogo da semana

A rivalidade é grande. A expectativa também. E, em campo, as duas equipes corresponderam. Mark Sanchez (!!!!) pelo lado dos Jets e Chad Henne (!) pelo lado dos Dolphins distribuiram MUITO BEM seus passes e cuidaram bem da bola. Resultado: nenhuma interceptação até a ultima jogada da partida.

Não só por essas tecnicidades o jogo foi, para mim, o melhor da Week 3. A partida em si também foi muito boa. Os Jets abriram 14 pontos de vantagem para os Dolphins, que reagiram e viraram o placar para 17-14, jogando em casa – onde não perdiam para os rivais de NY desde 2008. Mas era o dia do segundanista Mark Sanchez . Além do mais, as chamadas erradas de Miami acabaram por reduzir bastante suas chances. Se os Dolphins, ao final da partida, precisavam de um TD e uma conversão para empataram, boa parte da culpa cabe aos Wildcats desnecessários e que pouco (ou nenhum) resultado deram.

Com a vitória dos Jets, a AFC East se embola toda, com tres times com 2-1. E, semana que vem, o Monday Night Football contará outra vez com os Dolphins, dessa vez contra os Patriots, em mais um clássico divisional, em Foxborough. E, mais uma vez, poderemos ter a oportunidade de assistir a um grande jogo em horário nobre.

————————————————

Antes de encerrar por hoje, à classificação das divisões e os dois Wildcards. Ausente nos dois outros posts, acho que 3 jogos é o mínimo antes de se começar a desenhar tabelas.

Líderes de divisão

AFC: New York Jets (2-1 [lidera nos critérios de desempate]/EAST), Pittsburgh Steelers (3-0/NORTH), Houston Texans (2-1 [lidera nos critérios de desempate]/SOUTH), Kansas City Chiefs (3-0/WEST)

NFC: Philadelphia Eagles (2-1/EAST), Chicago Bears (3-0/NORTH), Atlanta Falcons (2-1 [lidera nos critérios de desempate]/SOUTH], Seattle Seahawks (2-1 [lidera nos critérios de desempate]/WEST)

Wildcard: Para quem não é muito familiarizado com a NFL, explico. Além dos quatro campeões de divisão, mais dois times vão as playoffs. São eles os dois que tiveram melhor campanha na temporada regular sem, contanto, vencer sua divisão. Se a temporada se encerrasse hoje, esses times estariam classificados:

AFC: New England Patriots e Tennessee Titans (2-1; têm vantagem sobre Colts, Bengals, Ravens e Dolphins nos critérios de desempate).

NFC: Tampa Bay Buccaneers e New Orleans Saints (2-1; levam vantagem sobre Arizona Cardinals e Green Bay Packers nos critérios de desempate).

Finalizando, o ranking dos palpites, atualizado após 3 rodadas:

Week 1: Marcos (10-6); Pedro (7-9)

Week 2: Marcos (10-6); Pedro (9-7)

Week 3: Pedro (8-8); Marcos (8-8)

PS: Como apostadores, somos blogueiros razoáveis.

E vocês, o que acham?

ST Team! 😉

NFL – Season 2010/11 (Week 3)

In NFL on 25/09/2010 at 13:23

Quarterback dos Cowboys entre 1969 e 1979, Roger Staubach garantiu ao Dallas seus dois primeiros anéis

E é com Roger Staubach, Lenda dessa semana escolhida pelo ST Team ;), que o post da terceira semana da NFL é aberto. Antes, alguns números de um dos grandes quarterbacks da liga. Staubach detém o recorde de cinco participações em Superbowl, mais tarde sendo igualado por John Elway, titular dos Broncos, que mais tarde há de ser lembrado aqui nessa sessão. Como líder do time, Staubach levou os Cowboys aos títulos no Superbowl VI (d. Miami Dolphins) e no Superbowl XII (d. Denver Broncos). Além disso, Staubach não conseguiu garantir ao seu time vitórias nos Superbowl disputados contra o Baltimore Colts, em 1970 e duas derrotas ante o Pittsburgh Steelers, em 1975 e 1978.

Apresentações feitas, vamos à NFL do presente, que joga amanhã e segunda sua terceira rodada. Nessa temporada, Pittsburgh Steelers, Tampa Bay Buccaneers, Houston Texans, Kansas City Chiefs, New Orleans Saints, Miami Dolphins, Chicago Bears e Green Bay Packers chegam a essa fase invictos, ou seja, com um record de 2-0. Na outra extremidade da tabela, Cleveland Browns, Dallas Cowboys, Minnesota Vikings, St. Louis Rams, Carolina Panthers, Detroit Lions e Buffalo Bills perderam os dois jogos já disputados.

Sem mais delongas às análises fresquinhas e precisas levadas a você diretamente de Caconde, pelas mãos de Pedro Liguori e Marcos Semensato.

(1-1) New York Giants v. Tennessee Titans (1-1)

Eu: Dificil, ambos vem de derrota. Os Titans estão quase sofrendo uma crise com Vince Young, que jogou muito mal semana passada e foi substituido por Kerry Collins, que já jogou em Noviórqui. Acho que os azuis + vermelho (as duas cores do uniforme de NY, se misturadas, refletem muito sobre eles) acabam aproveitando o fator casa e levam a mortadela. NY 24-16

Marcos ‘New York, New York’ Semensato: Os Giants se recuperam de uma desastrosa derrota para os Melhores do Mundo (ver Indianapolis Colts) e derrotam Chris Johnson & Co. 28-21, New York.

(0-2) Carolina Panthers v. Cincinnati Bengals (1-1)
Eu: Primeira chance para o calouro Jimmy Clausen começar uma partida, já que Matt Moore, que foi tão bem na temporada passada, vai ganhar um tempo pra refletir sobre a vida – no banco de reservas. A nova cria de Notre Dame assume um time que não é fraco, mas é pouco de um time. Esperava mais dos Panthers, e até acho que eles podem se reerguer, mas não nessa partida. Bengals, 31-9.

Marcos ‘Não muito inspirado hoje’ Semensato: Jogo ruim. Passo. O palpite é Bengals. 15-12, Cincinnati.

(2-0) Tampa Bay Buccaneers v. Pittsburgh Steelers (2-0)

Eu: Jogo dos invictos. Tampa ganhou duas seguidas, joga em casa apoiado pelas simpaticissimas cheerleaders, Pittsburgh entra sem Dennis Dixon, machucado… confio na defesa dos Steelers, mas não tanto assim a ponto de achar que eles ganham o jogo. Vou com Tampa pela primeira vez na temporada, sabendo que posso errar feio: 28-24 Bucs

Marcos ‘Pote de mostrada’ Semensato: Tampa Bay surpreende pelo bom começo de temporada. Joga em casa e acho que surpreende Pittsburgh. 17-14, Bucaneers.

(1-1) New England Patriots v. Buffalo Bills (0-2) – DIVISIONAL

Eu: O cidadão de Los Gatos, Trent Edwards, foi mandado ao banco. Ryan Fitzpatrick, sujeito da camisa 14, começa o jogo como Quarterback dos Bills. O GM disse que eles precisavam de uma ‘faísca’. Mas não vai ser contra os Patriots, né? Brady & Cia. podiam jogar sem defesa que mesmo assim ganhavam. Pats, 42-3

Marcos ‘Cacondegate’ Semensato: Urgh. O jogo mais desigual da rodada acaba com vitória dos comandados de Bill ‘Spygate’ Belichick. New England Patriots, 35-10.

(1-1) Baltimore Ravens v. Cleveland Browns (0-2) – DIVISIONAL

Eu: Jogo parecido com o anterior. Joe Flacco pode lançar 6 Ints que mesmo assim os Ravens ganham. E que rodada horrível. Ravens 21-10

Marcos ‘Mano Brown’ Semensato: Verei? Não. Palpitarei? Sim. Paulo Antunes prevê um safety, um prevejo dois field goals para os Browns. Ravens, 20-6.

(2-0) Kansas City Chiefs v. San Francisco 49ers (0-2)

Eu: Não se enganem: o time de San Francisco É melhor do que o dos Chiefs. Portanto, vencerá, e Alex Smith repetirá sua boa atuação de semana passada, iniciano uma arrancada rumo ao MVP da temporada. Ok, não tanto. Mas rumo ao titulo da divisão pode ser. 49ers 14-10

Marcos ‘Rio São Francisco?’ Semensato: Difícil. Minha moeda da sorte entra em operação e….. deu cara. Vou de 49ers, sabendo que posso me arrepender. 24-17, San Francisco.

(2-0) Houston Texans v. Dallas Cowboys (0-2)

Eu: Sem muito a comentar. O símbolo dos Texans é um touro. Os Cowboys são os vaqueiros. O que os vaqueiros fazem? Isso mesmo. Chegando como azarões, os outrora favoritos de Dallas iniciarão do outro lado da Interestadual 45 a recuperação que os levará ao sexto título. E tenho dito. Cowboys, 32-27.

Marcos ‘Sacanagero’ Semensato: Houston é a nova sensação. Dallas, a grande decepção. Lá no fundo, beeeem no fundo mesmo, meu coração bate ao som de ‘Colts, Colts, Colts, Colts, Colts’. Mas eu sou um profissional. O ‘owner’ dessa bagaça (Muahahaha)! Por isso, mesmo que a torcida fique com os vaqueiros, meu palpite é Houston, 31-27.

(0-2) Minnesota Vikings v. Detroit Lions (0-2) – DIVISIONAL

Eu: Favre ainda não venceu esse ano. Nem os Lions. Um dos dois sairá do zero, e não acredito no povo de Detroit comemorando nesse domingo, não. Vikings, 21-10

Marcos ‘Viking barbudo’ Semensato: Boring. Vou dormir que eu ganho mais. Grandpa ‘Farve’ vence a primeira do ano. Vikings, 20-14.

(2-0) New Orleans Saints v. Atlanta Falcons (1-1) – DIVISIONAL

Eu: Jogo muitíssimo interessante, pra mim o melhor dessa rodada. São dois bons times, mas os Saints são excelentes e tem ainda Drew Brees pra comandar a patota. Em casa, eles ganham. Mas fãs dos Falcons, não se preocupem. O time de vocês ainda vai trazer muitas alegrias nesse ano. Saints, 23-20.

Marcos ‘Technobrega’ Semensato: “Garçom, aqui nesta mesa de bar; você já cansou de escutar… centenas de casos de amor”. Essa música que eu pensei que fosse do Falcão, e descobri que é do Reginaldo Rossi, era a deixa para homenagear a vitória dos Falcons sobre os Katrineans. Atlanta, 30-19.

(0-2) St. Louis Rams v. Washington Redskins (1-1)

Eu: Não ouso apostar em Sam Bradford dessa vez. Donovan McNabb vai dando muitas alegrias aos torcedores peles-vermelhas. Nessa semana, o povo de Landover, Maryland, sai com um sorriso na cara. Redskins, 27-7

Marcos ‘Brilhante percepção’ Semensato: Minha moedinha operante tem mais um desafio, escolher o vencedor deste clássico dos times que começam com R e terminam com S (ver também Raiders). Joguei pro alto e….. deu coroa. Sorry, Rams. Redskins, 21-20.

(1-1) Jacksonville Jaguars v. Philadelphia Eagles (1-1)

Eu: Só uma pessoa acha que a AFC South é a divisão mais forte da Liga. Consequentemente, ela acha que os Jaguars são alguma coisa que presta. Errado. Michael Vick, agora titular, conduz os Eagles para mais uma efêmera alegria. Afinal, alegria de torcedor dos Eagles dura pouco, né? Eagles, sei lá o placar e não me enche o saco.

Marcos ‘Moeda com face dos Jaguars’ Semensato: Moedinha, que tal? Joguei pro alto e……. Jesus. Deu Jaguars, 28-24.

(1-1) Denver Broncos v. Indianapolis Colts (1-1)

Eu: Colts. Simplesmente porque não dá pra apostar nos Broncos. Nem contra o Peyton Manning. Junte as duas condicionais e você tem uma vitória tranquila.

Marcos Eduardo Manning: O Indianapolis Colts (ver Melhores do Mundo) vem de uma atuação brilhante contra o New York Giants. Como vocês podem ver, andei palpitando em zebras (ver Jaguars), que não me permitem palpitar de outra forma aqui. Vitória de Indianapolis, 38-27. O time que perde essa semana é o Denver Broncos.

(1-1) Arizona Cardinals v. Oakland Raiders (1-1)

Eu: Jason Campbell, ex-Redskins, foi botado no banco dos Raiders. Bruce Gradkowski começa o jogo. Boa escolha, gosto dele. Mas acho que, em Phoenix, da Cardinals, embora com muito suadouro – principalmente para quem resolver assistir isso.

Marcos ‘Curto uma coroa’ Semenasto: Moedinha (ver Subterfúgios para quando você não tem ideia do que pode acontecer) em jogo. E deu…. coroa. Cardinals, 21-18.

(1-1) Seattle Seahawks v. San Diego Chargers (1-1)

Eu: Gosto dos Seahawks. Não gosto tanto dos Chargers. Mas não dá pra apostar nos comandados de Pete Carroll dessa vez. Chargers ganha com relativa facilidade.

Marcos ‘Preguiça’ Semensato: Moedinha! Hahaha, brincadeira. Guardei a moeda para a rodada 4. Aqui a vontade de apostar na zebra (pela trocésima vez nesta semana) é grande. Mas ouvi falar que o ‘riozinho’ vai resolver jogar. Chargers, 35-20.

(2-0) Miami Dolphins v. New York Jets (1-1) – DIVISIONAL

Eu: Um dos maiores clássicos da liga. Apostaria nos Jets, que vem no embalo. No entanto, Darrelle Revis não joga mais um escandalo – a prisão de Braylon Edwards – abalou o time de Nova York. Dá Dolphins, portanto.

Marcos ‘NDA’ Semensato: O pior jogo da rodada. Dolphins, 6-3. (  ) O melhor jogo da rodada. Jets, 27-24. ( x )

(2-0) Chicago Bears v. Green Bay Packers (2-0) – DIVISIONAL

Eu: Esse time do Bears é ruim. Só ganhou duas porque jogou com times piores do que ele. Vai tomar uma bela duma sacolada do time mais tradicional dessa liga. Packers vence e humilha, com requintes de crueldade.

Marcos ‘Só minha divisão que é boa, mimimimi’ Semensato: “Meeeeeu, que irado o CQC!” – diz o ser (paulistano) que não sabe da existência desse jogo. “Meeeeeeu, tá chato pra cacete esse jogo! – diz o ser (paulistano) que não sabe que todos os jogos da NFC North são chatos. E beeeeem chatos. Mesmo. Green Bay, 30-20.

Melhor

Eu: Atlanta @ New Orleans

Marcos ‘Touro Bandido’ Semensato: Dallas @ Houston

Pior

‘Esse site tá me causando irritamento’ Eu: Oakland @ Arizona

Marcos ‘Sofista’ Semensato: Todos da NFC North (reflitam)

Mais interessante

Eu: Dallas @ Houston

Marcos ‘Atlanta by night’ Semensato: Atlanta @ New Orleans

Enjoy it.

ST Team! 😉

NFL – Season 2010/11 (Week 2)

In NFL on 19/09/2010 at 03:42

Dave Casper, mítico Tight End dos Raiders na década de 70; Lenda da NFL

Oh hello, my dears! Esse post da Week 2 vem com DUAS novidades. Isso mesmo, o melhor blog de esportes do Brasil, cujo servidor fica na paradisíaca Caconde (que é para blogs esportivos o que o Vale do Silício é para as empresas de tecnologia) , NÃO PARA DE INOVAR!

Primeiro, eu, Pedro Liguori aka Piotr Liguorovic aka Pedrinho aka O Outro Cara Que Escreve Aqui agora fui promovido! Isso mesmo, chegamos a um acordo que faria Tom Brady parecer pobre, e agora eu virei Administrador do SportsTour! Agora, além de textos, vocês poderão conferir também posts escritos diretamente por mim. Uma honra, e eu gostaria de deixar meu agradecimento para vocês e para meu chefe.

Sem mais delongas, da segunda novidade se ocuparão os posts sobre a NFL. Nos palpitões pré-rodadas, a capa do post será ilustrada por uma lenda desse nobríssimo esporte praticado na terra do Tio Sam. Essa semana, trazemos para você Dave Casper, Tight End. Quer conhecer mais ele sobre ele? Pois então procure, no Folclore da Liga, informações sobre o ‘Holy Roller’, e ‘Ghost to the Post’.

E é isso. Agora, ao que interessa. O maior show da Terra, na segunda semana de sua quinquagésima primeira temporada.

Green Bay Packers (1-0) v. Buffalo Bills (0-1)

Eu: Green Bay começou bem, mas imagino que pior do que imaginavam. Os Bills perderam, mas não foram humilhados pelos Dolphins. De qualquer forma, Os Packers estréiam em casa com vitória, e Donald Driver vai pro famoso Lambeau Leap. Packers, 33-6.

Marcos ‘Leite de Búfala’ Semensato: Huuum. O jogo dos opostos. Um dos favoritos ao Super Bowl contra um dos favoritos a saco de pancadas na temporada. Green Bay Packers, 33-7.

Minnesota Vikings (0-1) v. Miami Dolphins (1-0)

Eu: Miami venceu mas não convenceu. Os Vikings perderam, mas engrossaram o caldo. No reencontro de Brett Favre com a torcida, uma vitória suada de um time que vai contar com muitos erros do ataque adversário. Vikings por 4, 20-16.

Marcos ‘Flipper’ Semensato: Farve às favas. Farve aos golfinhos. Miami Dolphins, 25-17.

Cleveland Browns (0-1) v. Kansas City Chiefs (1-0)

Eu: Kansas começou com o pé direito, mas acho que é cedo pra falar em um novo time e tudo mais. Pelo lado dos Browns, Seneca Wallace, que amargou cinco anos de reserva em Seattle, começa o jogo. Se vai dar sorte contra o jogo corrido dos Chiefs? Apostou que não, e os Arrowheads começam com 2-0 esse ano. 14-6.

Marcos ‘Cacique Boi Sentado’ Semensato: Oh, Jesus. Como se o jogo já não fosse ruim o bastante, ainda acho que terá poucos pontos. Chiefs, 10-9.

Dallas Cowboys (0-1) v. Chicago Bears (1-0)

Eu: Marc Colombo e Kyle Kosier voltam para reforçar o Scrimmage dos Cowboys. Uma boa pedida contra um time que tem Brian Urlacher e Julius Peppers. Cowboys estréia em casa e se não enfiar uma sacola nos Bears, presságio de um ano difícil. 24-7 Dallas.

Marcos ‘Ei, Catatau’ Semensato: Os ursinhos carinhosos de Chicago não terão muita chance contra os vaqueiros (iiiiiiirraaaaaaaa!) de Dallas. 30-13 para os Cowboys.

Atlanta Falcons (0-1) v. Arizona Cardinals (1-0)

Eu: Atlanta busca sua primeira vitória na temporada, e pode apostar que Matt Ryan, Michael Turner e Tony Gonzalez vão para ela contra o fragilizado Cardinals. Semana passada apostei a favor de Atlanta e errei. Dessa vez é sem erro: Atlanta, 20-17.

Marcos ‘Eu tinha um boneco do Falcon’ Semensato: No jogo dos passarinhos os Falcons não estarão de brincadeira. Tiram um estilingue do bolso e pá! Cardinals is dead…. Atlanta, 25-14.

Carolina Panthers (0-1) v. Tampa Bay Buccaneers (1-0) – DIVISIONAL

Eu: Complicado. Josh Freeman teve um bom jogo semana passada, conduzindo os Bucs à primeira vitória. Já os Panthers, sofreram. Em casa, jogo de divisão… vou com os Panthers, por não acreditar em duas seguidas para Tampa. 13-7.

Marcos ‘Jack Sparrow’ Semensato: Lembra daquela pantera que volta e meia aparecia no filme do Mogli (o tal do menino lobo)? Então, alguém saberia me dizer se ela era do bem ou do mal? Não me recordo. O que faz com que não faça mais sentido continuar falando sobre isso, já que como eu não me lembro, não conseguirei fazer a relação com o jogo em questão. Pois bem, Bucs, 30-24. No overtime!

Detroit Lions (0-1) v. Philadelphia Eagles (1-0)

Eu: Sem Matt Stafford, sem chances para os Lions ao menos esboçarem uma campanha minimamente decente. Michael Vick, dos Eagles, será titular pela primeira vez em três ou quatro anos, e vem com sangue nos olhos para arrasar os felinos, com os quais ele nem tanta intimidade assim. Eagles 20-3.

Marcos ‘Leões fazem roar’ Semensato: Leões e Águias. Daria um bom nome de filme. Tipo uma continuação de Lobos e Cordeiros, que eu não vi, confesso. Mas nesse jogo chato de doer minha aposta vai com o segundo time favorito do Pedrinho. Eagles, 28-10.

Cincinnati Bengals (0-1) v. Baltimore Ravens (1-0) – DIVISIONAL

Eu: O time do Bengals é fraco. O dos Ravens, não. Ray Lewis vai fazer da vida de Chad Ochocinco um inferno. No Paul Brown, os Bengals perderão o segundo jogo seguido. Já os Ravens, começam 2-0, firmes e fortes em direção a um título de divisão. Ravens 27-17.

Marcos ‘A mulher do corvo é a Corvette’ Semensato: Ah, a internet. Devido a minha deficiência na língua nativa, o ingrêis, usei o tradutor do Google para descobrir o real significado desses simpáticos times. Aparentemente, trata-se de um clássico entre as bengalas de Cincinnati e as raves de Baltimore. Como eu sou jovem, fico com as raves. Baltimore, 16-9.

Tennessee Titans (1-0) v. Pittsburgh Steelers (1-0)

Eu: Jogo interessantíssimo, talvez o mais interessante dessa rodada. Sem Big Bem, os Steelers venceram um, mas ainda faltam três até que o Quarterback titular volte. Vou com os Titans, e Chris Johnson, e Vince Young. Mas sem certeza nenhuma. Titans 24-21 em um jogo animadíssimo.

Marcos ‘A cidade do aço não é Ipatinga?’ Semensato: Eu assisti os Titans no cinema faz pouco tempo (mentira, eu baixei no pc, mas ninguém precisa ficar sabendo que eu faço esse tipo de ilegalidade na minha vida pessoal, tá?). Eu achei o filme bem ruim, pra falar verdade. Tem aquele cara do Avatar, ele nem tá de uniforme, sei lá, esperava mais do filme. Nem tinha o Chris Johnson. Mesmo decepcionado eu vou com eles. Titans 28-21.

Denver Broncos (0-1) v. Seattle Seahawks (1-0)

Eu: Dúvida cruel. Serão os Seahawks um one-hit wonder? Irão os Broncos perder a segunda seguida? Pelo que vi na primeira rodada, iria com os Seahawks. Mas o Depth Chart de Running Backs dos Broncos é invejável. Denver, 17-14.

Marcos ‘Broncopneumonia’ Semensato: Os broncos de Denver contra os Falcões que sabem nadar de Seattle (continuo usando o tradutor do Google). Well, eu não conheço bem nenhum dos times. Vou com Seattle, porque depois de massacrar os 49ers eles merecem um voto de confiança. Seattle, 20-14.

Oakland Raiders (0-1) v. St. Louis Rams (0-1)

Eu: Sam Bradford consegue sua primeira vitória na liga em cima do fraco time de Oakland. Sem muito mais a comentar, 24-21.

Marcos ‘São Luis é no Maranhão, cazzo’ Semensato: Ah, depois de se aposentar do mundo das lutas, Raiden fundou seu próprio time de futebol americano. Aparentemente não deu muito certo. A sorte é que o adversário, os Rams, seriam uma espécie de Noob Saibot da NFL. Com todo respeito ao Noob Saibot (meu sexto ninja preferido depois de Sub-Zero, Reptile, Ermac, Rain e Scorpion) isso não quer dizer muita coisa. Mesmo assim, Rams 14-10.

Washington Redskins (1-0) v. Houston Texans (1-0)

Eu: Jogão. Sustento minha teoria de que os Texans são os Saints do amanhã. Para provarem tal, começam a temporada com 2-0, e não há DeAngelo Hall ou Donovan McNabb que possam impedir isso. Texans, 30-23

Marcos ‘Texano mucho macho’ Semensato: Os algozes de Pedrinho versus os algozes da minha pessoa. A vontade de fazer piadas com falas do filme Apollo 13 (eu jurava que era 11) é grandemais, gente. Mas ok, levemos o jogo a sério. Estamos falando do quarterback preferido de Pedrinho, Donovan McNabb, contra o quarterback do futuro, o caipira sem dentes, Matt Schaub. Vou com o desdentado. Texans, 30-20.

New York Jets (0-1) v. New England Patriots (1-0) – DIVISIONAL

Eu: “Odeio os Jets” – Tom Brady. Mais um jogo com um clima tenso em Meadowsland, os Jets pressionados por terem sido apontados como um dos favoritos para levar o Superbowl. Após uma atuação fraca no primeiro jogo, os Jets serão superados pelos seus grandes rivais. E olho neles, porque Tom Brady e os Patriots estão de volta. 21-10 New England.

Marcos ‘Tenho um poster do Tom Brady’ Semensato: Os Jetsons não eram assim tão populares, mesmo quando eram apenas desenhos animados que viviam no espaço criado por Hanna-Barbera na década de 60. Essa babação toda começou quando o time comandado pelo balofo-mor, T-Rex Ryan, chegou à final da AFC ano passado e foi destroçado por aquele time maravilhoso das bandas de Indianapolis. Vou com o Mr. Bundchen, ao som de Foreplay/Longtime. Pats, 24-21.

San Diego Chargers (0-1) v. Jacksonville Jaguars (1-0)

Eu: San Diego perdeu a primeira, mas no Qualcomm eles se reencontrarão com a vitória. Porque o time é bom. Já os Jaguars se encaminham para outra temporada mediana, de 7-9 ou 8-8. Chargers, 20-14.

Marcos ‘Jaguar XJ60’ Semensato:Os carregadores de celular de San Diego contra as Jaguatiricas da Flórida. Interessante. Esse contraste entre o urbano e o natural, entre os pitis do Philip Riozinho e a habilidade de fabricar interceptações de David Garrard, vai dar um jogo que você certamente não pode perder. Vontade grande de apostar nas oncinhas, mas vou com as baterias. 33-24 para San Diego.

Indianapolis Colts (0-1) v. NY (1-0)

Eu: Posso até ver as manchetes do dia seguinte: “Little Manning gets schooled by Big Bro’”. No Manning Bowl, o mais velho outra vez leva a melhor, com um chocolate pra cima dos azuizinhos, mostrando quem é que manda naquela bagaça. Colts, 34-7.

Marcos ‘Archie Manning, me adote!’ Semensato: Hmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm. Se aquela (piii) daquele Garçon agarrassse a (piii) daquela bola, Indy não teria perdido para aquelas (piii) que nem bem saíram das fraldas em Houston. Já os Giants (que Pedrinho adora odiar, ou odeia adorar, reflitam) vão perder. Uma pena. Volta pra casa, Eli, você foi o eliminado dessa noite. Peyton & Co. 33-29.

San Francisco 49ers (0-1) v. New Orleans Saints (1-0)

Eu: No jogo em que San Francisco aposentará a camiseta #80 do lendário Jerry Rice, os Saints estragarão a festa. Até porque a secundária dos 49ers me dá medinho.E, se para mim dá medo, para os torcedores dos BayBombers deve dar calafrios. Saints, com seu terror de ataque, 35, San Francisco com TD de corrida e pretty much only this, 13.

Marcos ‘Mardi Gras’ Semensato: O Furacão Katrina foi um grande furacão,que destruiu uma parte dos EUA uma tempestade tropical que alcançou a categoria 5 da Escala de Furacões de Saffir-Simpson (regredindo a 4 antes de chegar a costa sudeste dos Estados Unidos da América). Os ventos do furacão alcançaram mais de 280 quilômetros por hora, e causaram grandes prejuízos… ver mais em Wikipedia. Saints, 25-16.

Melhor jogo

Eu: Colts-New York, por fatores externos, Jets v. Patriots, na hora que a bola oval rolar.

Marcos ‘Mambo-Jambo’ Semensato: Hmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm. Giants @ Colts.

Pior jogo

Eu: Panthers vs. Buccaneers

Marcos ‘Cabeça de Gorgonzola’ Semensato: Bills @ Packers

One to watch

Eu: Redskins v. Texans. Só pra sacar qual é a dos dois pra esse ano.

Marcos ‘Eduardo’ Semensato: Patrícias @ Jetsons, a.k.a. Patriots vs. Jets

Resultado das apostas:

O que é? Achou que íamos palpitar só por palpitar é? Não, errou! Temos uma competiçãozinha aqui, e admito que sai atrás na primeira semana. Resultados:

Week 1: Marcos (10-6), Pedro (7-9).

Thaaaaaat’s it!

Um abraço,

ST Team! 😉

Pensamentos de Primeira Rodada

In NFL on 18/09/2010 at 01:16

Indianapolis, you have a problem!

Entre quinta-feira, domingo e segunda-feira a NFL teve sua primeira rodada disputada. As trinta e duas franquias entraram em campo, para delírio dos fãs ensandecidos que se espalham pelo mundo todo, e tiveram de esperar sete meses para ver a bola oval de volta em ação.

Ainda é cedo para apontar favoritos, fazer previsões e tudo mais. Mas, para não deixá-los por fora dos resultados, Pedrinho faz uma rápida e pontual análise dos jogos do final de semana, com o toque refinado de quem sabe do que fala. Vamos lá porque tempo é dinheiro, e o espaço do Sports Tour vale outro – diz-se que cada linha custa algumas centenas de dólares.

New Orleans Saints 14-9 Minnesota Vikings – jogo de abertura

Os atuais campeões estrearam com o pé direito. Ou melhor, com o braço direito, de Drew Brees, que continua jogando demais. Pena que os Wide-receivers passaram numa padaria pra comer um pão na chapa antes do jogo e deixaram muitas bolas caírem. Pelo lado dos Vikings, Brett Favre re-re-re-re-estreou. Não foi uma maravilha, sendo interceptado. Saints bem, Vikings bem mas nem tanto.

Tampa Bay Buccaneers 17-14 Cleveland Browns

Pelos Browns, Jake Delhomme foi interceptado. Isso já serve como previsão de mais um ano ruim para Cleveland. Pelo lado dos Bucs, uma vitória, que já deve significar muito. Tampa deve encarar uma temporada vitoriosa como principal objetivo para esse ano.

Buffalo Bills 10-15 Miami Dolphins

Esperava mais de Miami e menos de Buffalo. Aliás, Miami conseguiu anotar pontos com um Safety. Dureza. Curosidade: Trent Edwards, quarterback titular dos Bills (não é uma grande honra, acreditam) nasceu na cidade de Los Gatos, California. Alguma leitora do sexo feminino poderia dar seus palpites quanto a isso?

New England Patriots 38-24 Cincinnati Bengals

Pois é, Batman & Robin (aka Terrel Owens e Chad Johnson aka Ochocinco) não conseguiram vencer o bom time dos Patriots, que, resolvendo seus problemas defensivos, tem tudo para voltar a incomodar. Aos Bengals, que não me encantam, resta tentar repetir o título da AFC North do ano passado, dessa vez com uma tabela extremamente difícil.

Houston Texans 34-24 Indianapolis Colts

Manning lançou para mais de 400 jardas, se tornou o segundo QB com mais jogos assim de toda a história, mas os Colts perderam. Os Texans fizeram seu jogo na base da corrida, com Arian Foster, que estabeleceu um novo recorde de primeira semana ao correr para 231 jardas e 3 TDs. Olho nos Texans.

Jacksonville Jaguars 24-17 Denver Broncos

Essa derrota mostra como os Broncos vêm mal para esse ano. Jaguars venceu, mas não deve se animar muito. Curiosidade: essa partida foi interrompida na virada do terceiro para o quarto quarto, por causa dos trovões que despejavam sua fúria sobre a maior cidade da Flórida.

Pittsburgh Steelers 15-9 Atlanta Falcons

Jogo sofrível, sem nenhum Touchdown no tempo regulamentar. Rashard Mendenhall deu a vitória aos Steelers na prorrogação, um bom começo para um time que nem é tão bom assim. Sem Ben Roethlisberger, Dennis Dixon (que foi titular ano passado contra os Ravens e quase saiu com a vitória) é o titular, deixando no banco Charlie Batch e Byron Leftwich.

Tennessee Titans 38-13 Oakland Raiders

Chris Johnson colocou o jogo no bolso e saiu correndo com ele. Piadas infames a parte, exibição de gala do Running Back dos Titans, que chega ao seu décimo-segundo jogo seguido com pelo menos 100-jardas corridas, se aproximando do recorde de 14. Aos Raiders, resta chorar.

NY 31-18 Carolina Panthers

Tenho medo do que vai ser dos Panthers esse ano, com 3 QBs praticamente novatos. Matt Moore tem futuro, mas jogaram o rapaz por conta como titular. Não é assim também. NY, que nada tem a ver com isso, venceu na estréia do Meadowsland, ou, como eu gosto de chamar, New Jets Stadium. O Pequeno Manning lançou 3 touchdowns, mas também 3 Interceptações. Fraco.

Chicago Bears 19-14 Detroit Lions

Dois times sofríveis. Jay Cutler continua um otimista nato, lançando passes longos, completando uns, outros não, sendo pego em outros tantos. Aos Lions, mais um motivo para chorar: Matt Stafford, que parece de cristal, está machucado outra vez. Sobrou a Detroit colocar Shaun Hill para jogar. A ofensiva já é uma porcaria (mas a defesa é boa!), com um QB medíocre, então… mas Detroit só perdeu em uma jogada controversa, com uma daquelas regras polêmicas que ninguém conhece. Destaque ao bom Recebedor número 81 dos Lions, Calvin Johnson.

St. Louis Rams 13-17 Arizona Cardinals

Sam Bradford, que já embolsou 50 milhões de dólares em seu contrato de calouro com St. Louis, quebrou os recordes de passes tentados (50) e completados (32) para um estreante. Mesmo assim, no passe mais importante do jogo ele completou nas mãos do jogador de Arizona – era uma Hail-Mary para ganhar o jogo. Mas tem futuro, o garoto. Em relação ao Arizona, prevejo sofrimento para os Cardinals.

Philadelphia Eagles 20-27 Green Bay Packers

Aaron Rodgers começou meio lento, mas Green Bay se recuperou e saiu vitorioso contra os Eagles, que, aliás, tiraram o ano pra ter azar. Além do time ser bem mezza-mezza, Leonard Weaver sofreu uma lesão na perna e perde a temporada. O Center titular também. O negócio dos Eagles é apostar em Michael Vick como titular – jogou muito o rapaz ontem – porque Kevin Kolb não dá. Aliás, o menino Kolb está entre um Matt Leinart e um Aaron Rodgers.

Seattle Seahawks 31-6 San Francisco 49ers

Me impressionou esse jogo. Primeiro, Matt Hasselback foi interceptado em seu primeiro passe no ano. San Francisco ensaiou uma lavada, marcando 3-0, recuperando a posse de bola e indo para a Red zone dos Hawks. Mas Alex Smith não dá. E Mike Singletary deve estar bem nervosinho com seus comandados, viu. Porque depois do 6-0, o time parou. E só deu Seahawks. Hasselback, correndo e passando, acabou com o jogo. Mesmo porque a secundária de San Fran é medonha. Gostei de Pete Carroll, técnico estreante de Seattle. Bem vibrante à beira do campo, ao contrário de certo técnico de certo time do Texas. Mesmo assim, acho que a Seahawks se aplica o que eu disse aos Jaguars. No entanto, a NFC West é certamente a pior divisão da NFL esse ano, e Seattle pode beliscar uma vaguinha nos playoffs, quem sabe?

Washington Redskins 13-7 Dallas Cowboys

Ai, ai ai… as faltas mataram o Cowboys. Basicamente isso. Ao torcedor do Redskins, resta comemorar, porque o time é infinitamente melhor do que o do ano passado. Quem sabe vocês não acabam tendo uma grata surpresa esse ano?

New York Jets 9-10 Baltimore Ravens

O jogo decepção da rodada, muito ruinzinho para o que se (pelo menos eu) esperava. As duas defesas continuam em forma, mas o ataque do Jets está horrível! Mark Sanchez começa mais uma temporada com falta de confiança na hora de lançar. O contrário se aplica a Joe Flacco, terceiro ano de NFL, que cada vez mais arrisca – e completa – passes longos e difíceis. Ainda não é um Quarterback no qual se pode confiar e forçar passes o tempo todo, mas enquanto os Ravens tiverem Ray Rice, Willys McGahee e Leron McClain os problemas dele serão minimizados.

Kansas City Chiefs 21-14 San Diego Chargers

Mais um tabu quebrado. Dessa vez foram os Chiefs, que voltaram a derrotar San Diego, mesmo com uma participação apagada de Matt Cassel, que surgiu como grande Quarterback nos Patriots, duas temporadas atrás. Ele passou para apenas 65 jardas, mas completou um touchdown. O jogo corrido de Jamaal Charles e Thomas Jones foi a principal arma dos Chiefs (se vocês tivessem lido o preview da AFC West saberiam disso!), além dos retornos do bom Dexter McCluster (que também conta com um dos nomes mais legais da liga). Para San Diego, atrapalhou a falta de comunicação, que irritou um pouquinho Philip Rivers. No entanto, San Diego normalmente estréia devagar e depois engrena. Eu não contaria os Chargers fora, nem os Chiefs dentro – quando precisou defender passes, Kansas deixou a desejar.

Algumas considerações…

Começou bem, Kevin Kolb (4) como substituto do talvez mítico Donovan McNabb

Melhor jogo: Minha aposta foi em Baltimore vs. New York Jets, mas com a primeira rodada completa Green Bay Packers v. Philadelphia acabou se mostrando a melhor partida – eu tinha pensado em Skins v. Cowboys, mas as inúmeras faltas do time de Dallas acabaram por decrescer o nível técnico da partida. Menção honrosa para o final eletrizante de Chargers vs. Chiefs, com Rivers tendo uma ultima chance para empatar o jogo faltando 30 segundos no relógio.

Dureza.

Pior jogo: Apostei em Bears vs. Lions. E, de fato, foi um jogo sofrível. O lance é que o final, com os dois times jogando alucinados e a polêmica do TD de Calvin Johnson acabou salvando o confronto da AFC South. Por isso, a “honra” acaba por recair sobre Pittsburgh e Atlanta. Porque um jogo em que o primeiro touchdown sai na prorrogação não pode ser bom.

Oh, HELLO MR. MCNABB!

One match to watch: Mantenho meu primeiro palpite de Washington e Dallas. Foi bom ver como o novo time dos Redskins se comportou, jogando muito sólido na defesa. Não lembra nem de perto aquela bomba comandada por Jason Campbell ano passado. Pelo lado texano da coisa, o jogo serviu para tirar as primeiras impressões de um time apontado como favorito e que carrega pressão tripla: quinze anos sem um Anel, completando 50 anos na NFL e cujo estádio sediará a grande final da NFL, em fevereiro. Em uma escala menor, cito também o confronto do nordeste americano, entre Baltimore e Jets, dois favoritos ao título que se enfrentaram.

A foto pode não ter a ver, mas eu tenho certeza que você gostou mesmo assim

O melhor: Além das tão simpáticas e talentosas líderes de torcida, as famosas Cheerleaders (destaque para as da calorosa Tampa Bay, que sempre apóiam os Bucs), aponto o Running back Arian Foster como o melhor jogador desse final de semana da NFL. Simplesmente porque o cara destruiu três coisas: o recorde de mais jardas corridas em uma primeira semana, o tabu que os Colts tinham de nunca terem cedido tantas jardas corridas em um mesmo jogo e os próprios Almighty Colts, dando apenas a segunda vitória para os Texans contra Indianapolis em toda a história do time de Houston.

Pessoalmente meu QB favorito, Tony Romo sofreu na mão dos que deveriam ser seus amigos

O pior: A parte ofensiva dos Dallas Cowboys. Tony Romo foi incrível, Miles Austin foi preciso, Jason Witten, um monstro, Marion Barber barbarizou com a linha dos Redskins. Mas, entre esses feitos grandiosos, escondem-se chamadas ofensivas totalmente erradas, como desnecessários, previsíveis e ineficientes passes laterais – os famosos Screen Passes –, as faltas – e aqui cabe um muito obrigado a Alex Barron, por quem Jerry Jones, o dono da mortadela, trocou por Bobby Carpenter, o Diabo Loiro – que junto com a chamada mais ESTÚPIDA desde aquela 4th & 1 de Bill Belichick fizeram com que Dallas estreasse com 0-1, não 1-0. A chamada em questão por parte de Dallas foi essa: com 6 segundos no relógio, segundo quarto, Dallas perdia por 3. Ao invés de ajoelhar e acabar com o primeiro tempo, os Cowboys foram para um snap, e fizeram uma bobagem tripla: primeiro, o coordenador que chamou a jogada. Segundo, Tony Romo, que não soube pensar e, ao não encontrar alvos e ter o campo LIVRE a sua frente, ao invés de se jogar para evitar um sack ou qualquer coisa que o valha fez um passe para trás para Tashard Choice, que botou a cereja no bolo, ao tentar fintar DeAngelo Hall. Choice foi tackleado, soltou a carne e os Cowboys foram para o vestiário atrás por 10. Simplesmente genial. Muito obrigado.

Jamaal Charles says BYE BYE SAN DIEGO CHARGERS

Curiosidade: Pelo menos três times encerraram séries negativas contra rivais de divisão: Houston venceu os Colts apenas pela segunda vez em sua história, os Chiefs encerraram uma sequência de 6 derrotas para os Chargers (o que dá, mais ou menos, 3 anos) e os Redskins quebraram uma escrita de 12 quartos sem marcar touchdown em Dallas, e três derrotas seguidas. Por outro lado, Baltimore aumentou sua freguesia em relação aos Jets: são agora 6 vitórias seguidas. Se meus cálculos estiverem certos, a última vitória do lado verde de NY data de 2004, salvo algum encontro entre os dois pelos playoffs.

É isso. Esperam que tenham gostado.

ST Team! 😉

NFL – Season 2010/11 (Week 1)

In NFL, Uncategorized on 08/09/2010 at 23:51

Photo: Google Images

A Temporada 2010/11 da NFL começa nesta quinta-feira com a reedição da final de conferência na NFC entre New Orleans Saints e Minnesota Vikings. Drew Brees e Brett ‘Farve’ (vai ser chamado desse jeito aqui no blog) comandam 2 das melhores equipes da liga em busca da glória máxima do esporte – o título do Super Bowl em fevereiro.

Para a primeira rodada da NFL, Pedrinho Romo e eu, que dizem ser a verdadeira inspiração de Peyton Manning, analisaremos todos os 16 confrontos, o melhor e o pior jogo da rodada, além dos placares que eu certamente cravarei, pois sou bom demais.

Verdades à parte, tenho certeza que vocês vão curtir! Are you ready for some football?

Vikings @ Saints

Pedrinho ‘me love farve’ Liguori: Here our season kickstarts! Oh boy, assim como os Steelers ano passado, os Saints abrirão a temporada como uma boa vitória diante de sua torcida fanática, com uma atuação de gala de Drew Brees. WHO-DAT? 35-17.

Eu: Ow man, I miss football. E aqui estou eu em uma encruzilhada, torcer para os campeões fajutos do ano passado ou para o time do vovô idoso? Vou de Saints. 38-24 para os douradinhos.

Browns @ Buccaneers

Pedrinho ‘marrom bombom, nossa cor marrom’ Liguori: O que Josh Kribbs e Jake Delhomme podem fazer juntos? Não muita coisa. Mas Tampa não empolga, principalmente se Josh Freeman ficar de molho. Aposto em Cleveland, 20-17.

Eu: Urgh. Jogo ruuuuuuim. Que vai acabar com a vitória do time de melhor nome da liga sobre o de capacete mais sem graça. Bucs, 20-17.

Dolphins @ Bills (*division matchup)

Pedrinho ‘free-willy’ Liguori: Se eu fosse filho da puta, eu faria um enorme paralelo entre o mundo do football e o do tênis. Mas não sou. Então vamos lá.

Pobre Bills. Depois de Jim Kelly, ainda não achou um quarterback decente. Esse ano eles tem CJ Spiller de Running Back, mas ele não vai resolver 1/3 dos problemas do time. Miami ganha, 45-6, com dois TDs de Brandon Marshall.

Eu: Urgh. Não é tãaaaao ruim como o jogo anterior, mas o time de Buffalo é um pesadelo. Miami ganha fácil essa, por 30-16.

Bengals @ Patriots

Pedrinho ‘Gisele, amiiiiiiiga’ Liguori: Oh, Cincinnati. Um raio pode cair duas vezes no mesmo lugar? Cincy até tem um bom time, com T.O., Ochocinco e Jordan Shipley, mas Patriots é Patriots e vice-versa. Aposto numa zebra, Bengals 23-20.

Eu: Wes Welker is baaaaaack! E os Patriots farão um jogo parelho com T.O, Ochocinco e cia., que resultará em um shootout e na vitória de Welker, Brady e do estressadinho Moss. 35-31, New England.

Colts @ Texans (*division matchup)

Pedrinho ‘touchdoooown Indianapoooooolis Cooooooolts’ Liguori: Ano passado foi quaaaaaaaase. Não fosse por Kris Brown, os Texans teriam vencido os Colts. Esse ano, o time de Houston vem melhor. Já Indy sofreu um baque com a perda do Superbowl. Pré-temporada não vale nada, mas… Houston vence pra mostrar ao mundo para que veio. 28-24 Texans.

Eu: Yeaaaaah! O melhor jogo da rodada (sim) é um clássico (sim) da melhor divisão (sim). Houston nunca deu lá muita sorte contra Indianapolis, mas se tem um ano para enfim desencantar, o ano é este. Matt Schaub é um grande quarterback e vai levar sua equipe a mais uma bela exibição. Tudo pode acontecer aqui, mas aposto com a cabeça (e com o coração) que os Colts vencerão. Houston, we a have problem. 33-30, Indianapolis.

Broncos @ Jaguars

Pedrinho ‘La Jaguatirica’ Liguori: Dureza. Broncos vem ceifado por lesões que tiram do time qualquer possibilidade de fazer algo esse ano. Mas Jacksonville é uma draga similar, então dá Broncos, 14-10. Sofrível. Fujam.

Eu: Urgh. O centro das atenções será o calouro Tim Tebow, que, segundo fontes, não sairá muito contente com a exibição do seu time. Jaguars, 17-13.

Falcons @ Steelers

Pedrinho ‘Polamala’ Liguori: One match to watch. Esperam boas coisas de Atlanta esse ano. De Pittsburgh, nem tanto. Matt Ryan conduzirá os Falcões para a primeira vitória da temporada em pleno Pote de Mostarda (Heinz Field). 31-23.

Eu: Outro bom jogo com dois times que são material de playoff. Big Ben suspenso, vou com a primeira surpresa engraçadinha (Hello, Paulo Antunes!) da rodada. Falcons, 20-19.

Raiders @ Titans

Pedrinho ‘conteúdo impróprio para menores’ Liguori: Raiders é uma porcaria, Tennessee é bom mas não é tudo isso. Em casa deve dar Titans, 24-3.

Eu: Urgh. Raiders e Titans. Joguei a moedinha e deu Titans, 17-7.

Panthers @ Giants

Pedrinho ‘I Love NY’ Liguori: Ano passado o time da Carolina do Norte passou pra cima dos despreocupados Noviorquinos. Foi 35-7, se não me engano. Mas esse ano o time do Carolina vem muito desfalcado, e tal. E acho que tem aquele lance do juizão ajudando e tal, sorte de estréia… vai dar esse timeco aí do nordeste americano, 20-7.

Eu: Ano passado os Giants tomaram uma bela surra dos Panthers, que, segundo minhas fontes, não se repete agora. New York leva com certa folga, 31-14.

Lions @ Bears (*division matchup)

Pedrinho ‘Rawr!’ Liguori: FUJAM PARA AS COLINAS. Chicago é um dos times mais tradicionais da liga, mas desde 1985 nunca fez mais nada. Tem lá o Brian Urlacher e o Matt Forte. E só, vai. Os Lions precisam de mais do que Stafford, Van den Bosche e Ndamukong Suh pra fazer um time vencedor… mas acho que esse ano vai. Lions, 3-1.

Obs: Ah, é impossível? Aff. Tá, então 17-16 Detroit.

Eu: Urgh, urgh, urgh. O segundo pior jogo da rodada também será decidido na moedinha, e quem diria, deu Leão. Pobres ursos. Detroit vence por 10-7.

Cardinals @ Rams (*division matchup)

Pedrinho ‘Leinart ‘m gonna miss you baby’ Liguori: Outro joguinho de doer. Um time sem um quarterback contra um quarterback sem um time. Time por time, os Cardinals (ave que você, reles brasileiro, nunca viu nem nunca verá no quintal da sua casa) são melhores. Acho que o pobre Sam Bradford estréia com derrota na NFL. Cardinals 31-20.

Eu: Kurt Warner, Kurt Warner. Ninguém sentirá mais sua falta do que os torcedores dos Cardinals, que perderam seu grande quarterback, mas, ainda assim, celebrarão a vitória. 13-10 para Arizona.

Packers @ Eagles

Pedrinho ‘fly eagle, fly with me’ Liguori: Não gosto dessa euforia pra cima do Green Bay Packers, o mais tradicional time da NFL. Mas ouvi dizer que lá em Green Bay, nesse domingo, vai ter um Frango à passarinho no capricho. Green Bay 38-13. E tenho dito.

Eu: O queridinho da mídia este ano é o quarterback Aaron Rodgers, que provavelmente estará no páreo para o título de MVP da temporada. Green Bay estreia com vitória fora de casa, 42-21.

49ers @ Seahawks (*division matchup)

Pedrinho ’69ers’ Liguori: Outro jogo interessante. Primeira chance real em um bom tempo pros 49ers irem aos playoffs. Seahwaks… é. Perdeu o Shaun Alexander e desde então nunca mais fez nada. 49ers ganha o duelo de divisão, 27-14.

Eu: Urgh. Eu ainda não acredito nos Seahawks. Não para o começo da temporada. Por isso mesmo vou com os 49ers, 28-10.

Cowboys @ Redskins (*division matchup)

Pedrinho ‘mim pele vermelha’ Liguori: Ohhh boy. Aqui começa a caminhada para o 6º anel. O FedEx Field vai terminar a noite envergonhado; Tony Romo fará uma apresentação de gala e Donovan McNabb vai começar a temporada do mesmo jeito que acabou a outra: apanhando da D-Line dos Cowboys. Shora Shanahan! Cowboys 24-0, com um show de Witten, Austin, Felix Jones, Romo, Dez Bryan e Marion Barber, sim senhor!

Eu: Romo (rei-momo para os íntimos), Barber (churrasquin para os mais íntimos) e Miles Austin (Milhas Houston para os mais íntimos ainda) vencerão para alegria de todos os vaqueiros do sul da América. Mas não vai ser fácil, não. 24-21 para Dallas.

Ravens @ Jets

Pedrinho ‘Serbian Island’ Liguori: O melhor jogo da Week 1. Esses dois times, na minha opinião, decidirão a AFC, lá em janeiro. Jets tem defesa, tem ataque. Os Ravens também. Mas pra correr eles têm ‘só’ Ray Rice e William McGahee. Baltimore se reforçou bastante no que se refere a Wide receivers, mas o maior time de New York está prevenido, e por isso ganha. 24-16 em um jogo sensacional.

Eu: Grande jogo entre dois postulantes ao Super Bowl. Esse eu não perco por nada. Rex Ryan arma defesas como ninguém, mas mesmo em casa, não será páreo para o renovado time de Baltimore, que vence por 28-25.

Chargers @ Chiefs (*division matchup)

Pedrinho ‘Togepi, eu escolho você’ Liguori: Ano passado foi Chargers v. Raiders. Bom, a diferença entre Chargers e Cardinals chama-se Phillip Rivers. Kansas City terá, na minha opinião, o Primeiro pick do draft de 2011. Vai dar Chargers, 23-6, com direito a um TD do nosso glorioso Patrick Crayton, ex-Cowboys.

Eu: Urgh. Escolheram um péssimo jogo para o Monday Night Football. Jogo de um time só. Rivers comanda os Pikachus de San Diego para uma lavada: 35-10.

O melhor jogo da rodada será…

Pedrinho ‘inho inho inho’ Liguori: Ravens @ Jets

Eu: Ravens @ Jets

E o pior jogo da rodada será…

Pedrinho ‘bear hugs rules’ Liguori: Lions @ Bears

Eu: Browns @ Buccaneers

Fique de olho em….

Pedrinho ‘imparciality’ Liguori: Cowboys @ Redskins

Eu: Colts @ Texans

Vemos vocês na próxima semana!

ST Team! 😉

NFL – Preview AFC West

In NFL on 31/07/2010 at 01:49

Photo: Google Images

Boa noite, amigos e amigas do Sports Tour.

A segunda divisão da NFL que ganha um preview especial aqui no blog é a AFC West. Não foi tão difícil imaginar isso, certo? O Papel Noel azul aqui na foto estragou a surpresa. Pena.

Maaaaaaaaaaaas o bom velhinho não conseguiu estragar o conteúdo exclusivo deste post. Preparado especialmente por Pedrinho, enquanto eu matava algumas pessoas durante a difícil jornada de trabalho. Fascinante, não?

Despeço-me desejando a todos uma boa leitura!

Pelo direito de ser grande

Marques Harris comemora um sack no jogo contra o Washington Redskins. Photo: NFL

San Diego Chargers

Ano passado: 12-4, campeão de divisão, segundo melhor rankeado na conferência, derrotado pelos Jets no Divisional Round dos Playoffs

Uma grande temporada regular fez com que os Chargers terminassem a temporada regular com a segunda melhor campanha da AFC e um Bye na primeira rodada dos playoffs. Mas um bom New York Jets impediu San Diego de alçar vôos mais altos.

Na post season, San Diego se livrou de alguns jogadores importantes, como o Running Back LaDainian Tomlinson, Antonio Cromartie e Vincent Jackson, esse suspenso por três jogos por questões disciplinares.

Liderados pelo bom Quarterback Phillip Rivers e com grandes estrelas no elenco o San Diego Chargers luta contra a sina de sempre amarelar na Hora H para finalmente poder se considerar um grande time na NFL.

Meu passado…: Fundado em 1960 como Los Angeles Chargers, Manda seus jogos atualmente no Qualcomm Field (nomeado assim pelo patrocínio da empresa de comunicação de mesmo nome), os Bolts são o único time de sua divisão a nunca ter vencido um Superbowl, embora tenham um título da extinta AFL, em 1965.

Dan Fouts, Quarterback do time entre 1973 e 1987, é seu principal jogador historicamente. No entanto, foi Stan Humphries que levou o time ao Superbowl XXIX, em 1994.

O San Diego Chargers, em seus 51 anos de história, venceu a liga uma única vez – em 1965. Venceram, também, sua conferencia apenas em 1994. No entanto, os Bolts venceram sua divisão na Liga por 15 vezes, incluindo o atual tetracampeonato – desde 2006 só dá Chargers na AFC West.

Jogaram a pós-temporada por 17 vezes, sendo a primeira delas em 1960.

Títulos: 1965 (AFL)

Meio-termo

Tim Tebow, badalado Quarterback do último Draft, pratica o Wildcat. Photo: NFL

Denver Broncos

Ano passado: 8-8, segundo na divisão

Se existe um time que eu coloco no meio-termo, esse time é o Denver Broncos. que há cinco anos não vai à pós-temporada.

Kyle Orton, em sua segunda temporada pelo time do Colorado, alterna bons e maus momentos. Lhe foi dada uma segunda chance, mas para merecer o posto de titular o camisa 8 terá que se mostrar capaz, se saindo melhor do que seus concorrentes: o ex-Browns Brady Quinn e o jovem e incógnita Tim Tebow, ex-Florida Gators.

Na verdade, acho que Tebow faz parte dos planos de Wildcat da equipe de Denver, já que é, também, um bom corredor. Falando em corredores, o time de Denver conta, no elenco, com Knowshown Moreno e Correll Buckhalter. Na defesa, Elvis Dummervil liderou a liga em sacks, na temporada 2009-10. Como Wide-receivers, Denver se livrou de Brandon Marshall, habilidoso na mesma medida que se envolve em confusões e trouxe, para seu lugar, Demaryius Thomas e Eric Decker.

Os Broncos mais uma vez montam um time sólido – que pode fazer muito mais do que um regular 8-8. Resta saber se, quando depender dos próprios Broncos, eles fugirão do páreo ou farão valer a fama do time bi-campeão do Superbowl, ao final da década de 1990.

Meu passado…: Fundado em 1960 como parte da divisão Oeste da AFL, os Broncos, que nunca mudaram de nome ou de liga, lá permanecem até hoje, 50 anos depois.

Sem muito sucesso na época de AFL, os Broncos somente conquistaram glórias após a fusão das duas ligas, e seus maiores sucessos são da época pós-1970, como o primeiro título de divisão, em 1977, mesmo ano da primeira aparição do time no Superbowl. Acabaram derrotados por Dallas, que se sagrava ali bicampeão da liga.

Com 5 títulos de conferência – 1977, 86, 87, 89, 97 e 98 –, dez de divisão – o primeiro em 1977 e o último em 2005 – e 20 aparições nos playoffs – a última também em 2005 – os Broncos tem como maior ídolo o Quarterback John Elway.

Foi com a parceria entre Elway e o técnico Mike Shanahan que os Broncos venceram os únicos dois títulos de sua histórias, em 1997 (d. Packers) e 1998 (d. Falcons). Elway também detém o recorde de mais Superbowls jogados, com 5.

Títulos: 1997 (Superbowl XXII), 1998 (Superbowl XXIII)

Baía abaixo

JaMarcus Russell leva um sack na partida contra os Chiefs. Photo: NFL

Oakland Raiders

Ano passado: 5-11, terceiro na AFC West

Três vezes campeão do Superbowl – um número considerável – o Oakland Raiders se encontra numa draga sem fim.

Tudo isso por causa de sucessivas e equivocadas decisões administrativas, que fizeram com que um dos melhores e mais tradicionais da Liga despencasse de rendimento.

Para o posto de Quarterback titular o time da Bay Area trouxe Jason Campbell, enxotado de Washington após a chegada de Donovan McNabb ao time da capital federal. Desconfio que os torcedores dos Raiders estão incrédulos quanto a uma retomada do passado vitorioso da equipe tão já.

Para não dizer que só olho o lado ruim das coisas, falemos das qualidades de Oakland. Sebastian Janikowski, melhor kicker da liga e Nnandi Asomugah, Cornerback, ano sim outro também é chamado ao Pro-Bowl. Além, é claro, das belas cheerleaders, sempre confortáveis no calor californiano.

Olhando esse time do Raiders, não vejo um futuro muito promissor. É como se o antigo Los Angeles Raiders, de três títulos, rolasse baía abaixo, como um tronco desgovernado.

Meu passado…: Contrasta com o presente do time. Fundado em 1960, em Oakland, ficou na cidade até 1981, quando se mudou para Los Angeles. Ficou por lá apenas 13 anos, e em 1995 retornou a Oakland.

Manda seus jogos na cidade vizinha de Alameda, que fica no condado de Oakland. Seu estádio é o Oakland-Alameda City Coliseum, um dos raros exemplos de campos não vendidos a patrocinadores.

Tem uma das histórias mais vitoriosas da liga, incluindo 3 títulos de Superbowl e 1 da AFL, além do recente vice-campeonato, em 2002-3. Foi campeão de conferencia por 4 vezes – 1976/80/83/2002 -, além de faturar sua divisão em 15 oportunidades, sendo 3 pela AFL e a última em 2002. Tem 21 participações na pós-temporada, sendo a última em 2002.

Títulos: 1976 (Superbowl XI; d. Vikings), 1980 (Superbowl XV; d. Eagles), 1983 (d. XVIII; d. Redskins)

Run, Thomas, Run

Jamaal Charles faz o que os Chiefs melhor sabem fazer: corre. Photo: NFL

Kansas City Chiefs

Ano passado: 4-12, último na divisão

Se o Oakland Raiders não tem previsões de um futuro muito glorioso, o mesmo pode se dizer do fraco time do Kansas City Chiefs.

O outro time do Missouri – surpresa! Kansas City FICA no Missouri, não no Kansas – o antigo Dallas Texans não deve incomodar os grandes da NFL por um bom tempo.

Isso tudo porque Matt Cassell, que teve uma grande temporada substituindo Tom Brady nos Patriots em 2008, não corresponde. Por isso mesmo, a jogada preferida dos Arrowheads é o jogo corrido – em 2009-10 eles ficaram com a 11ª melhor média de jardas terrestres. Nesse ataque que não privilegia os lançamentos, Jamaal Charles é o principal nome – ano passado foi o 11º melhor corredor.

Para este ano os Chiefs trouxeram Thomas Jones, 3ª melhor marca em jardas da liga ano passado, preterido pelos Jets esse ano. Com isso, o veterano Running Back deve ser a principal aposta de jogadas de efeito para o técnico Todd Haley. Entenderam agora o porquê do título?

Meu passado…: Fundado como Dallas Texans, em 1960, foi campeão sob essa alcunha em 1962, na AFL. Mesmo assim, se transferiu para o Missouri, adotando a nomenclatura de Kansas City Chiefs em 1963, nome que permanece até hoje. Venceu a AFL em 1966 e em 1969 – porem esses títulos não são computados, dado que já existia o Superbowl nessa época.

Venceu o Superbowl IV, em 1969-70, na final contra o Minnesota Vikings.

Não venceu nenhuma final de conferência, mas já faturaram sua divisão em 7 oportunidades – a última em 2003 – e foram aos playoffs 15 vezes, sendo a última em 2006.

Foi no Kansas City que Joe Montana, talvez o melhor Quarterback da história da Liga, encerrou sua vitoriosa carreira, em 1993.

Títulos: 1962 (AFL), 1969 (Superbowl IV).

ST Team! 😉

NFL – Preview NFC West

In NFL on 21/07/2010 at 00:03

Photo: Google Images

E as estréias não param no Sports Tour!

É com muito orgulho que eu, Pedro Liguori, anuncio a vocês que consegui fazer com que o dono do site assinasse um contrato para uma nova série no Sports Tour.

Para quem está tendo o primeiro contato com a NFL pelo SportsTour, tenho duas coisas a falar. A primeira, é um muito obrigado. A segunda é uma explicação. Os 32 times são divididos em 2 conferências de 16 times cada (American Football Conference, AFC e National Football Conference, NFC), que, por sua vez, são subdivididas em 4 divisões de 4 times cada (North, South, East, West). Pode parecer complicado no começo, mas com o tempo vocês se acostumam.

Foi de comum acordo que decidimos iniciar pela NFC West. Aproveitem!

Para continuar no topo…

Leinart is the new Cardinals QB // Photo: NFL.com

Arizona Cardinals

Ano passado: Campeão de divisão, com 10 vitórias e 6 derrotas. Eliminado pelo New Orleans Saints nas semi-finais de conferência

Atuais bi-campeões de divisão, o Arizona Cardinals passou por um processo de reformulação após o fim da última temporada. Perdeu jogadores importantes, como Karlos Dansby, para Miami e o Safety Antrel Rolle, para o New York Giants, além do Wide-Receiver Anquan Boldin para o Baltimore Ravens e o excelente quarterback Kurt Warner para a aposentadoria.

Para compensar, o Arizona, do técnico Ken Whisenhunt trouxe Derek Anderson, responsável pela última campanha respeitável do Cleveland Browns, para competir com o canhoto Matt Leinart pelo posto de Quarterback titular. Além disso, Arizona assinou com o Guard de Pro-Bowl, Alan Faneca, ex-Jets, além do também ex-Jets Jay Feely, kicker, para o lugar de Neil Rackers, que teve o melhor aproveitamento dentre todos os chutadores da liga na última temporada, e agora partiu para Houston.

Tirando as perdas, falemos do futuro dos Cardinals. Larry Fitzgerald – na minha humilde opinião o melhor Recebedor da Liga – continua no time, como um dos mais respeitados jogadores do elenco. Também no time de Receivers, Whisenhunt conta com Steve Breaston e do novato Andre Roberts, terceira escolha do draft do time de Phoenix. Caso opte por correr, Arizona conta com Tim Hightower, em seu segundo ano na liga, e Beanie Wells, ambos grandes jogadores.

Se puder opinar, digo que Arizona já não mais assusta como nos últimos dois anos, mas mesmo assim tem um bom time – o problema são os quarterbacks. É bom esperar para ver o comportamento de Matt Leinart, em sua primeira temporada como titular, ou até mesmo de Derek Anderson, que vinha se revezando com Brady Quinn como titular em Cleveland. Solucionados esses problemas, o Cardinals é mais uma vez favorito a faturar a divisão – que por sinal é uma das mais fracas de toda a NFL.

Meu passado…: Sua fundação como clube amador em Chicago, em 1898, faz do Arizona Cardinals a mais antiga franquia da NFL – e, nem por isso, uma das mais tradicionais e gloriosas. A franquia já foi realocada por três vezes: até 1959, eram os Chicago Cardinals. Em 1960 – primeiro ano da fusão NFL-AFL (assunto para outro dia) – se mudaram para St. Louis, onde jogaram por 28 anos, até se mudarem outra vez, para Phoenix, onde estão até hoje – no entanto, uma mudança na nomenclatura fez com que os Phoenix Cardinals virassem o Arizona Cardinals.

Em todos esse ano de liga, apenas por uma vez os Cards foram campeões: em 1925, muito antes da NFL ser organizada com é hoje, num ato controverso – outra vez, papo para outro dia. Historicamente uma das piores franquias de todos os tempos, foi necessária a chegada de Kurt Warner – campeão do Superbowl em 2000, pelo St. Louis Rams – para que Arizona tivesse um time de ponta. Em 2008-9, chegaram às finais, quando foram derrotados pelo Pittsburgh Steelers, em um dos jogos mais emocionantes do Superbowl. Na última temporada, após alcançarem um recorde de 10-6 na temporada regular, venceram os Packers na prorrogação, na Wildcard Weekend, e enfrentaram os futuros campeões, o New Orleans Saints, nas semifinais de conferência, quando perderam, na despedida de Kurt Warner da liga.

Títulos: 1925

O tempo bom, que não volta… nunca mais?

49ers: 8-8 in 2009 // Photo: NFL.com

San Francisco 49ers

Ano passado: 2ndo na NFC West, 8 vitórias e 8 derrotas. Não se classificou para os playoffs.

Quem te viu, quem te vê. Se algum fanático pelo football tivesse entrado em coma nos anos 80 e acordado apenas em 2010, se espantaria ao ver o que o destino fizera com San Francisco, uma das melhores franquias de todos os tempos da NFL. E olha que em 2009-10 as coisas foram um pouquinho melhores do que nos últimos anos – o que não quer dizer muito, se você olha no espelho e vê Joe Montana e Steve Young.

Em 2009 os 49ers ficaram fora dos playoffs, mas com um retrospecto não-negativo – embora um 8-8 não possa ser considerado uma temporada vitoriosa. Talvez o maior feito daquele 49ers tenha sido as duas vitórias sobre o poderoso Cardinals, conseguidas graças aos turnovers do time de Arizona e as boas corridas de Frank Gore. E é bem nisso que San Francisco se apóia para essa temporada.

Com um draft que priorizou o setor defensivo, San Francisco volta apostar no jogo corrido – o melhor remédio para quem tem um quarterback que não inspira muita confiança, como é o caso de Alex Smith, 1st round pick do Draft de 2005 que até hoje não justificou o bom salário (todo salário da NFL é bom) – de Frank Gore, além de ter um bom Wide-receiver, Mike Crabtree, em sua segunda temporada na NFL.

Vejo o San Francisco como a segunda força da divisão, ainda um pouco atrás dos Cardinals. Tem boas chances de voltar a ter uma temporada vitoriosa. No entanto, ir aos playoffs já é outra história. E, se for, corre o risco de levar uma bela duma bordoada.

Meu passado…: Poucos times, em todas as Ligas de todos os esportes do planeta podem se orgulhar de ter um passado tão glorioso quanto o San Francisco 49ers. Dominadores absolutos da década de 80, que refletiu em um grande time nos anos 90, por duas décadas os ‘Niners tiveram o maior número de vitórias dentre todos os times da Liga. E isso se deveu, claro, a grande geração, liderada por Joe Montana, um dos melhores quarterbacks de todos os tempos, e seu sucessor, Steve Young.

Nos anos 1980, não teve para ninguém: quatro títulos. Com o triunfo em 1994, sobre o San Diego Chargers, os BayBombers se tornaram os maiores vencedores de Superbowl – depois sendo igualados pelo Dallas Cowboys e superados pelo Pittsburgh Steelers. San Francisco também detém o recorde de ter chegado a cinco finais da Liga – e vencido todas.

Após a aposentadoria de Steve Young, no entanto, o mais próximo de um grande líder que os auri-rubros tiveram foi Jeff Garcia. Até hoje os californianos tentam recobrar seu posto entre os principais times na liga, mas ainda estão longe do patamar de trinta anos atrás.

Títulos: 1981, 1984, 1988, 1989 e 1994 (Superbowl XVI, XIX, XXIII, XIV e XXIX)

5 anos e 1 sonho

Seattle is looking for another run to the SB // Photo: NFL.com

Seattle Seahawks

Ano passado: 5-11, terceiro na NFC West.

O Qwest Field, em Seattle, ostenta, para o mundo, pinturas nas arquibancadas que cantam glórias passadas do Seattle Seahawks. A maior delas, indiscutivelmente, é o título de Conferência de 2005, que levou o time de Washington para o Superbowl XL, no qual foram superados pelo Pittsburgh Steelers.

5 anos depois, a esperança de Seattle se concentra no técnico Pete Carroll, ex-USC, que experiência e bagagem tem para levar os Seahawks, pelo menos, de volta aos playoffs.

Comandados pelo experiente quarterback Matt Hasselback, o Seattle tem como principal jogador ofensivo o Wide-receiver TJ Houshmandzadeh, além dos Running backs Leon Washington e Julius Jones. A principal aposta de Seattle para reforçar a defesa chama-se Russell Okung, Tackle da USC, primeira escolha do time do estado litorâneo no último Draft.

Para mim, Seattle anda numa linha tênue. Pode tanto brigar para ser a segunda força com San Francisco – embora largue um pouco atrás – quanto pode, também, disputar a lanterna com os Rams. A verdade é que ter Charlie Whitehurst e J.P. Losman como quarterbacks reserva não deve animar o já velho, porém simpático, carequinha Matt Hasselback – tampouco os fãs dos Hawks.

Meu passado…: Fundado em 1976, entrou na liga como time de expansão junto com o Tampa Bay Buccaneers. É o único time a ter jogado pelas duas conferências da NFL: foi membro da AFC West até 2002, quando da entrada do Houston Texans, o que causou um reagrupamento das divisões, fazendo com que Seattle fosse transferido para a NFC West, divisão da qual faz parte até hoje, e onde conquistou seus mais importantes feitos.

Com dez participações nos playoffs, venceu sua divisão por seis vezes – em 1988 e 1999, na AFC West, e em 2004, 2005, 2006 e 2007 na NFC West.

Chegou ao Superbowl XL, em 2006, quando perdeu para o tradicional Pittsburgh Steelers. Desde 2007 não vai aos playoffs.

Olhando para o futuro

Sam Bradford, Overall Pick number 1, is the Rams' biggest hope // Photo: NFL.com

St. Louis Rams

Ano passado: 1-15. Último na NFC West, pior time da Liga.

Nos últimos dois anos, o St. Louis Rams obteve apenas três vitórias. Na última temporada, apenas uma, o que fez o time ser o pior da Liga. Como conseqüência, recebeu a primeira escolha geral do Draft e, com ela, o bem cotado quarterback de Oklahoma, Sam Bradford. Escolhendo o número 8 para sua camisa, Bradford remeteu a outro grande quarterback, também selecionado como primeira escolha no geral de seu draft: Troy Aikman, um dos maiores atletas do Dallas Cowboys, vencedor de 3 Superbowls. Não sei se os torcedores em St. Louis são supersticiosos, mas garanto que se o jovem Bradford igualar Kurt Warner – melhor passador da história do time do Missouri – esses mesmos fãs irão abrir um grande sorriso.

É verdade que um quarterback sozinho não ganha jogo – mas é muito mais fácil construir uma equipe vitoriosa sem ter que depender de Marc Bulger e Keith Null. Pensando nisso, os Rams trouxeram Bobby Carpenter, ex-Dallas Cowboys, em troca por Alex Barron. O time de St. Louis também conta, no Roster, com o experiente Stephen Jackson, exímio corredor, e dizem que Brian Westbrook, ex-Eagles, pode vir. Como recebedores, nenhum grande nome, e muitos novatos.

Para reviver os tempos de glória de Kurt Warner, quando os Rams venceram o Superbowl, o time do Missouri aposta em uma renovação. E é por isso, que, na minha opinião, e o Marcos irá discordar, o St. Louis Rams é um time para se ficar de olho no futuro.

Meu passado…: Assim como os Cardinals, o Rams não nasceu em St. Louis, mas sim em Ohio, mais precisamente como Cleveland Rams, em 1936, como parte da AFL – depois se transferindo para a NFL, no ano seguinte, onde permanecem até hoje.

Após 9 anos em Cleveland, em 1946, os Rams foram jogar em Los Angeles, onde ficaram até 1994, conquistando a divisão por nove vezes e indo aos playoffs regularmente. A partir de 1995, St. Louis voltou a ter um time de football, dessa vez com os Rams preenchendo a lacuna deixada pelos Cardinals desde sua transferência para o Arizona.

Foi em St. Louis que os Rams atingiram a glória máxima – o título do Superbowl XXXIV, em 2000, após baterem o Tennessee Titans na final.

Em seus 74 anos de história, os Rams conquistaram 3 títulos da Liga – em 1945, 1951, e o Superbowl XXXIV, na temporada 99-2000 – além de seis títulos de conferencia – o primeiro em 1950 e o último em 2001 – e 15 títulos de divisão, incluindo o heptacampeonato da NFC West entre 1973 e 1979. Por fim, os Rams foram aos playoffs da NFL por 27 vezes, sendo a última em 2003

Títulos: 1945, 1951, 1999 (Superbowl XXXIV)

That’s it. Espero que tenham gostado!

P. L.

ST Team! 😉